Análise dos desfiles do Grupo de Avaliação da LIESB

Publicado por

A primeira agremiação a desfilar no Grupo de Avaliação seria a União de Vaz Lobo, porém a escola desistiu na última hora, em virtude do atraso na chegada de seus componentes e de sua bateria. Passaram apenas o carro alegórico e o tripé.

O Feitiço do Rio abriu efetivamente o carnaval do grupo em alto nível. O desfile começou as 19 hs, com fantasias bonitas e completas, a escola foi a única a desfilar sem chuva. Destaque para a evolução da escola, para ala das baianas que representavam Dandara e para a bateria comandada pela Mestra Thaís Rodrigues. A rainha Valéria Mari voltou a reinar à frente da bateria Feiticeira. Vinícius Carr do Samba na Intendente também deu show no carro alegórico da agremiação, representando o Prefeito Ratão Crivella.

Unidos da Barra da Tijuca desfilou debaixo de muita chuva o que prejudicou muito as suas fantasias. A escola teve problemas de evolução com alguns buracos e também nos carros alegóricos em acabamento. A escola deverá perder 1 ponto em obrigatoriedades em comissão, pois não desfilou com o número mínimo de 10 integrantes na comissão de frente. Destaque para a presença do homenageado, o grande compositor imperiano Aluisio Machado, no último carro, e para a rainha de bateria Duda Maciel.

A chuva também prejudicou as fantasias da Acadêmicos de Jacarepaguá. Destaques positivos a comissão de frente e a ala de passistas, ala com bom contingente e com samba no pé. Ponto negativo para a falta de fantasia na bateria da agremiação que estava com camiseta branca.

Infelizmente não foi esse o desfile sonhado pela Unidos do Cabral no seu retorno ao carnaval. A escola estava dois anos sem desfilar e enfrentou vários problemas, dentre eles a falta de comissão de frente. A galeria da velha guarda abriu o desfile da escola do Caxambi. A Unidos do Cabral apresentou um número reduzido de componentes, bateria sem fantasia e poucos ritmistas, 8 baianas, fantasia da PB Micheli Rocha prejudicada devido a chuva. Os carros alegóricos passaram sem destaques. Ponto positivo à presença de componentes do Jacarezinho como a velha guarda e o casal de MS e PB, Serginho Sorriso e Caroline Santos, no desfile que homenageou o compositor e ex-presidente da Unidos do Jacarezinho, Barbeirinho.

A Flor do Jardim Primavera de Duque de Caxias estreou no Carnaval Carioca e fez um excelente desfile, com fantasias bonitas, bem acabadas, carro alegórico bem bonito também. Bateria bem vestida e com fantasia completa. Destaque também para os casais de MS e PB e para a ala das baianas.

As 22 hs e debaixo de uma tempestade, enfim, o Império de Petrópolis fez a sua estreia no Carnaval da Intendente Magalhães, após duas tentativas anteriores. A escola trouxe um bom contingente da cidade imperial para o desfile. A agremiação apresentou fantasias bonitas, bem acabadas, para falar da cerveja, no enredo “Cerveja: de pão líquido à paixão nacional”, do carnavalesco Laerte Gulini”. A escola não desanimou com a chuva e teve uma boa evolução, sem apresentar buracos. Destaque à bateria do mestres Marquinhos e Luiz Carlos e para a 1ª ala que era coreografada.

Oitava escola a desfilar o Peixe Vagabundo trouxe uma bela comissão de frente (fantasia e coreografia) do coreógrafo Alexandre Medeiros. Presença marcante do intérprete oficial da agremiação, Pixuléh que mandou ver. 1º Casal Rômulo Diniz e Bianca Castro muito bem vestidos. Harmonia boa, bateria completa. Último carro bem bonito e bem acabado. Ponto negativo: problema de evolução abrindo um grande buraco na frente do último carro alegórico. Apesar do buraco, a escola fez um boa estreia e está na briga para ascender ao Grupo de Acesso da Intendente.

A Guerreiros Tricolores fez uma belíssima estreia no Carnaval do Povão debaixo de muita chuva. A escola veio com um bom contingente e estavam muito animados, cantando o samba. Destaques à Comissão de frente e para o Casal de MS e PB Thuan Matheus e Marcela Tavares que estavam muito bonitos. A agremiação trouxe fantasias muito bonitas e completas, porém haviam muitas alas com camisetas. A rainha Lívia Portella deu um show na frente da bateria Cadência Tricolor.

Um temporal desabou na hora do desfile do Arrastão de Cascadura, mas a comunidade desfilou com muita garra e fez um bom desfile. A escola apresentou o enredo “Orumilá, os encantos da Terra ao destino da vida” do carnavalesco Sandro Gomes. Fantasias e carros alegóricos muito bonitos, destaque para uma das primeiras Alas que representava Oxalá. A ala das baianas estava linda mas a chuva danificou algumas fantasias. A saia da 2ª PB Ieda Vitória também foi danificada pela chuvarada. A escola cantou bastante. Destaque também para a ala de passistas com muito samba no pé. Um buraco abriu-se em frente ao último carro.

Meia noite e com muita chuva, começou o desfile da Mocidade Unida do Santa Marta que mostrou o enredo “Festa dos Santos Reis”, do carnavalesco Miro Freitas, e passou bem na avenida. A bateria passou bem vestida, como toda escola. Destaque para o primeiro casal de MS e PB (Érica Duarte e Tchetchelo) com uma fantasia muito bonita. Baianas corretas, carros alegóricos simples mas bem acabados. A agremiação da Zona Sul passou animada cantando o samba. Ótima atuação dos cantores do Santa Marta sob o comando do intérprete Digão.

A Alegria do Vilar não desfilou e enrolou a bandeira.

Chatuba de Mesquita desfilou debaixo d’água e fez um de desfile maravilhoso. O abre-alas era lindo, muito bem feito, bem acabado e com ótima iluminação. Muitos destaques: fantasias originais e bem acabadas; comissão de frente do coreógrafo Isaac Belford; os casais de MS e PB bem vestidos. A escola trouxe duas alas de crianças, a primeira bem vestida de arara azul e a segunda bem animada. A Chatuba cantou bem o samba e teve uma fácil leitura do enredo “Amazônia – Jacutingas a inspiração, da minha aldeia ecoa um grito pela preservação” do carnavalesco Alex Jesus. A ala de baianas vieram com a cabeça de onça, com pequenos problemas nas saias de umas quatro/cinco baianas, mas no geral a ala estava linda. Enfim, escola passou muito bem vestida inclusive a velha guarda. Foi o melhor desfile da Chatuba em anos.

A Mocidade Unida da Cidade de Deus chegou atrasada e acabou desfilando fora da ordem do sorteio e passou após a Chatuba. Triste a passagem da agremiação. A escola não trouxe comissão de frente e a galeria da velha guarda abriu o desfile da agremiação. Destaque apenas para os casais de MS e PB. A Mocidade veio com pouquíssimo contingente. Os poucos que desfilaram eram com fantasias simplórias e faltando partes da fantasia. Infelizmente a bateria também não veio, passando apenas cinco ritmistas.

A Acadêmicos do Dendê fez um belíssimo desfile. A chuva não atrapalhou a animação da escola que passou cantando muito. Muitos destaques: comissão de frente interessante, ala das baianas bem vestida, bateria vestida de esqueleto, alegorias bem acabadas, 1º casal de MS e PB, Victor Igor e Cassiane Figueiredo,  bem vestido. Fantasias leves, simples, de fácil leitura. A Dendê trouxe muito bate-bola, Zé Pereira, Colombina e Pierrot para apresentar o enredo “Reciclando Carnavais” do carnavalesco Severo Luzardo. A ala de passistas coordenadas pela Soraya Santos estavam bem bonitas e com muito samba no pé. Enfim, passou muito bem a azul e branca da Ilha do Governador.

A União Cruzmaltina fez um bom desfile em sua estreia no Carnaval Carioca. A escola passou cantando bem. Destaque para os carros alegóricos, bem iluminados e acabados. 1º casal Emanuel Lima e Thainara Matias passou muito bem, com bela fantasia. Boas fantasias no geral com algumas camisetas. A bateria passou bem e a rainha Mylla Ribeiro brilhou à frente de seus ritmistas. Ponto negativo para ala das baianas que veio com apenas 9 componentes. A escola passou com um bom contingente e teve que correr um pouco no final do desfile.

A Coroa Imperial fez uma estreia bem complicada no Carnaval Carioca contando o enredo “Na batucada de bamba sou Cacique sou raiz”, homenagem ao Cacique de Ramos. A comissão de frente apresentou boa coreografia do coreógrafo Júnior Ribeiro, mas as fantasias eram simples e estavam incompletas, todos sem cabeça, e deverá perder 1 ponto em obrigatoriedades, pois não desfilou com o número mínimo de 10 integrantes na comissão de frente. A escola trouxe 9 integrantes. Casal de MS e PB bonito. Carro alegórico simples. A agremiação trouxe pouquíssimo contingente, assim como a bateria com poucos ritmistas e sem fantasia. A escola não trouxe ala das baianas e deverá ser bastante penalizada nas obrigatoriedades.

17ª escola a desfilar, o Novo Império cantou o belíssimo samba para retratar o enredo “Quilombo força e resistência” dos compositores Alessandro Lanza, Antonio Conceição, Dona Ivanísia, Elson Ramires, Fábio Xavier, Guto Biral, Joseth Rodrigues, Lopita 77, Orlando Bico da Águia, Robert Farrow, Sidinho da Cuíca, Tadeuzinho e Tuninho Azevedo, também intérprete da agremiação. A escola veio bem vestida e com carros bem acabados. Casal de MS e PB, Pedro Figueiredo e Giselly Assumpção, estava bem vestido. A Rainha da Escola Jéssica Guirgo veio sambando muito à frente do 1º carro. A ala das baianas estava com bom contingente e uma boa fantasia. Corte completa à frente da Bateria: o rei Jerônimo Patrocínio, a rainha Caroline Lima e a madrinha Tatiana Daniele também foram destaques. A bateria veio com um contingente pequeno. Um buraco imenso antes do último carro deve comprometer a evolução da escola que no geral fez um bom desfile.

Fechando os desfiles, a União Rio-Minas fez um desfile bacana, organizado. Comissão de frente bem coreografada, casal de MS e PB com uma bonita fantasia. A bateria veio com um bom número de ritmistas, porém com uma fantasia bem simples, assim como no geral a escola estava com fantasias simples. A ala das baianas estava bonita. Último carro com bom acabamento. Ponto negativo para o pouco contingente da agremiação e a ala dos passistas que estavam sem cabeça e alguns sem sapatos. Também, a escola teve problemas sérios de evolução com vários buracos.

A Majestade do Samba teve seu carnaval comprometido em virtude das fortes chuvas e foi autorizada pela LIESB a desfilar fechando os desfiles e, assim como a Mocidade Unida da Cidade de Deus, não será julgada, pois não se apresentou na ordem correta do sorteio. A escola não apresentou comissão de frente, apresentou 4 baianas e poucos ritmistas na bateria. Destaques para o casal de MS e PB e para o intérprete Ciganerey. A agremiação também trouxe um carro alegórico. A escola passou com pouquíssimo contingente.

Redação Samba na Intendente

Marcos Guerra Couto

8 comentários

  1. Parabéns, Marcos, pela excelente análise, sobre os desfiles do acesso na intentente. Apesar do Dilúvio, as escolas estavam muito motivadas.Eu fiquei ate Unidos Cabral.
    Abs

    Obter o Outlook para Android

    ________________________________

  2. Boa tarde, Gres GUERREIROS TRICOLORES estão de Parabéns pela garra , vontade e União mesmo de baixo de MUITA chuva vcs foram GUERREIROS, PARABÉNS!!!!

  3. Ainda em tempo…
    Análise perfeita, bem parcial e sem delongas.
    Parabéns pela ótima cobertura durante esses anos, em especial em 2020, porque com o temporal que caiu durante toda a noite desfiles vocês são de fato os grandes GUERREIROS em prol do VERDADEIRO CARNAVAL DO POVÃO!
    Grande abraço! 👍🏼

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.