No feriado de 20 de Janeiro, será a festa no Acadêmicos da Abolição. A agremiação comemora 42 anos de fundação, e recebe Cristina Fernandes como madrinha da bateria “Feras do Ritmo” do mestre Douglas Jorge. A escola desfilará pela Série D do carnaval carioca, no domingo 11 de Fevereiro na passarela popular da Intendente Magalhães.

A festa começará cedo, em comemoração ao padroeiro da escola São Sebastião, a partir das 09 horas da manhã, a agremiação recebe diretoria, torcedores, componentes e a comunidade, para um café da manhã. Às 10 horas haverá uma missa ao padroeiro São Sebastião e ao meio-dia a escola oferecerá um almoço aos presentes.

A partir das 13 horas a festa começa pra valer. Muito samba e pagode com o grupo “Demorô” e participação especial do grupo “Só Damas”. Entre as atrações, a escola também receberá intérpretes de outras agremiações que cantarão sob o ritmo da bateria Feras do Ritmo. Na ocasião, a escola terá oficialmente a presença de Cristina Fernandes como madrinha à frente da bateria do mestre Douglas Jorge.

A nova madrinha de bateria é cria do Estácio já brilhou à frente da bateria da Unidos do Cabuçu e da Lins Imperial. No carnaval deste ano, reinará também como madrinha do bloco carnavalescos Amigos da Joaquim Méier, onde reside.

Em 2018, o Acadêmicos da Abolição será a quarta escola a desfilar na Estrada Intendente Magalhães, defendendo o enredo “É Preciso Preservar”, que foi desenvolvido pelo departamento cultural da escola, formado pelos pesquisadores Vladimir Rocha, Raquel Faria e também pelo coreógrafo Léo Torres, e assinado pelo carnavalesco Fábio Henriques. O tema traz uma visão do meio ambiente ideal e o que deve ser feito para preservá-lo. Com enfoque nas questões ambientais, o Acadêmicos da Abolição quer conscientizar as pessoas da importância vital do meio ambiente para vida humana.

A quadra da escola fica localizada na rua Teixeira Azevedo nº 69 – Abolição. A entrada é franca.