FEDERAÇÃO DOS BLOCOS CARNAVALESCOS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO – FBCERJ – GRUPO A – CARNAVAL 2019

1 – GRÊMIO RECREATIVO BLOCO CARNAVALESCO MOCIDADE UNIDA DA MINEIRA

20664177_897679850388400_7317747668494567197_n

Fundação: 09/12/1990 (28 anos)

Presidente Administrativo: Marcos Vinícios dos Santos de Oliveira “Pitel”

Cores: Vermelho e Branco

Sede/Quadra: Rua Van-Erven, 132, fundos, Catumbi, Rio de Janeiro, RJ

Escola Madrinha: G. R. E. S. Estácio de Sá

ENREDO: “SABOR À MINEIRA”

Carnavalesco – Marcelo Alexandre

Sinopse

Para falar de onde vem a comida mineira é preciso voltar um pouco na história do século XVIII para entendermos melhor a variedade culinária do Estado.

Foi durante este século que o Brasil viveu o ciclo do ouro com a descoberta das riquezas de Minas Gerais. O ouro e o diamante atraíram milhares de pessoas de todas as partes do país e estrangeiros que já estavam no país.

A culinária mineira é o resultado da mistura de influências das comidas indígenas, dos escravos africanos, dos portugueses e dos tropeiros.

Com seus pratos deliciosos cria hábitos e costumes na sua população. Culinária essa que se caracteriza por ser agradável e se unir à hospitalidade conhecida do mineiro, que oferece ao seu visitante seus pratos típicos que atravessaram séculos. A culinária mineira é o resultado de toda essa mistura!

A Mocidade Unida da Mineira traz para a avenida esse banquete regional, com inúmeras receitas. Uma delas é a da felicidade.

Você sabe a receita da felicidade? Sabe o sabor dela?

Vamos lá.

Bote lenha no fogão,

Renove o cheiro do café,

Prove-se e aprove-se!

Misture sorrisos, batuques.

Abraços e samba.

Tempere com união.

Deguste o delicioso sabor de pão de queijo, tutu, canjiquinha.

Feijão tropeiro com couve refogadinha.

Frango com quiabo, angu.

E até a famosa “branquinha”!

Uai!

Somos o sabor a Mineira.

Nosso banquete é farto.

Nossa mistura é própria.

Nosso cardápio é a felicidade.

Use-me, abuse e se lambuze.

Sou mais que irresistível,

Sou o apoteótico Carnaval!

*Agradecimento especial ao nosso colunista e diretor cultural da FBCERJ Júlio César Ferreira.

bebca058-1922-4741-b41e-7ae1d93c1cfe