FEDERAÇÃO DOS BLOCOS CARNAVALESCOS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO – FBCERJ – GRUPO A – CARNAVAL 2019

gramacho1

7 – GRÊMIO RECREATIVO BLOCO CARNAVALESCO IMPÉRIO DO GRAMACHO

Fundação: 09/03/1972 (46 anos)

Presidente Administrativo: Emílio Reis da Silva Romualdo

Cores: Verde e Rosa

Sede/Quadra: Rua Pedro Lessa, 110, Gramacho, Duque de Caxias, RJ

ENREDO: “O SAMBA EM NOITE DE GALA”

Carnavalescos – Comissão de Carnaval

Sinopse

MOLEQUE SARUÊ NÃO NASCEU EM BERÇO DE OURO. FAMÍLIA DE MUITOS IRMÃOS, ENGRAXATE, VENDEDOR DE JORNAL, TOCADOR DE TAMBORIM E CAVAQUINHO, DAS NOITES NA GAFIEIRA, A VIAGEM A EUROPA, CROONER DE LUXO NA ORQUESTRA TABAJARA, DE HUMOR INCONFUNDÍVEL, VENCEDOR DE CONCURSO NA RÁDIO CLUBE DO BRASIL (1947), DAS RODAS DE SAMBA DA PRAÇA XI, SUCEDEU A XANGÔ DA MANGUEIRA, POR MUITAS VEZES CANTOU LUPICINIO, SAGROU-SE CAMPEÃO NA INAUGURAÇÃO DO SAMBÓDROMO (1984), NO SAMBA CADENCIADO GANHOU VÁRIOS ESTANDARTE, DAS CORES VERDE E ROSA FOI PRESIDENTE DE HONRA.

NESTE CARNAVAL REVERENCIAMOS JOSÉ BISPO CLEMENTINO DOS SANTOS, NASCIDO EM 12 DE MAIO DE 1913, SÃO CRISTÓVÃO/RJ, QUE AOS 95 ANOS, NO DIA 14 DE JUNHO DE 2008, IMORTALIZOU-SE NA HISTÓRIA O DONO DA VOZ DO SAMBA (CD GRAVADO EM 1997).

LÁ VEM A BAIANA, TEM XINXIM, TOCADOR DE TAMBORIM E CAVAQUINHO, VOZ COMPARADA A TENOR, CONDECORADO PELO PRESIDENTE DA REPÚBLICA (2001) COM A MEDALHA ORDEM DO MÉRITO CULTURAL.

GRAVADORAS ODEON, COMPANHIA BRASILEIRA DE DISCOS, PHILIPS, CONTINENTAL, RGE, SOM LIVRE, EMPLACANDO VÁRIOS SUCESSOS COMO EXALTAÇÃO A MANGUEIRA, UM REI SEM COROA, E NUM EXEMPLO, COMO SE FOSSE FOFOCA NO MORRO, SÃO MAIS DE DEZ ANOS, CUIDADO SEU MOÇO, NUMA OBRA PRIMA, MESMO COM SUA AUSÊNCIA, EU ME RECORDO, SÓ LOUCO, QUEM A DE DIZER, PUXADOR DE CORDA, PUXADOR DE FUMO, PUXADOR DE CARRO….. EU SOU INTÉRPRETE…. NO REINO DAS PALAVRAS…. DEFINIÇÃO….. JAMELÃO, ÁRVORE DE FRUTO ESCURO E DOCE NÃO SE SABE AO CERTO DE ONDE VEIO SEU APELIDO… GOGÓ DE OURO…. O SAMBA EM NOITE DE GALA.

PENSAVA QUE SERIA SEMPRE OPERÁRIO, EMPUNHANDO O MICROFONE COM ELÁSTICOS EM VOLTA DOS DEDOS ELE DIZIA QUE ERA PARA QUANDO PAGASSEM O CACHÊ, DEIXAVA MAIS PERGUNTAS NO AR SE ERA OU NÃO SIMPATIA,  POIS,  TINHA PERSONALIDADE FORTE, SE NÃO FOSSE POR PROBLEMAS DE SAÚDE COMPLETARIA UM SÉCULO E DISSE NÃO SEI SE EU VOLTO MAS NÃO ESTOU TRISTE.

E NESTA PASSARELA DO SAMBA COM NOSSOS FOLIÕES VIEMOS EXALTAR UM GRANDE BALUARTE DO CARNAVAL. NÃO TEVE UM GRITO DE GUERRA ESPECÍFICO MAIS POR VEZES ECOAVA MINHA MANGUEIRA…. MUNDO A FORA, A MAIOR FESTA POPULAR.

*Agradecimento especial ao nosso colunista e diretor cultural da FBCERJ Júlio César Ferreira.

bebca058-1922-4741-b41e-7ae1d93c1cfe