GRÊMIO RECREATIVO ESCOLA DE SAMBA UNIDOS DE MANGUINHOS

bandeira_do_gres_unidos_de_manguinhos

Fundação: 23/04/1964

Cores: Verde, Rosa e Branco

Presidente: Ulisses Américo Santiago

Sede/Quadra: Av. dos Democráticos, 32, Manguinhos

Barracão: Rua Carlos Xavier, 397, Oswaldo Cruz

Enredo: Unidos de Manguinhos apresenta… No Só Para Quem Pode, Boêmios e Periquitos da Mangueira

Autores do Enredo: Raphael Homem e Levi Cintra

Carnavalesco: Levi Cintra

Figurinista: Levi Cintra

Diretor de Carnaval: Marquinhos

Diretor de Harmonia: Marcelo Radar

1º Casal de MS e PB: Renan e Débora

Coreógrafo da Comissão de Frente: Jonh

Diretor de Bateria: Chula

Diretor de Barracão: Alonso Bernardo

Responsável pela Ala das Baianas: Lacy da Mangueira

Responsável pela Ala das Crianças: Vanessa

Responsável pela Galeria da Velha Guarda: Martins

SINOPSE:

Enredo: Unidos de Manguinhos apresenta… No Só Para Quem Pode, Boêmios e Periquitos da Mangueira

Vamos falar de identidade. Vamos falar de memória. Vamos falar de verde e rosa. Vamos falar de Manguinhos. Vamos falar de Mangueira.

O Morro, com seus barracões de zinco…

Nossa história começa com a ocupação do morro. Juntaram gente de todo tipo: soldados, desabrigados e ex-escravos. Quer ir de trem? Só pedir ao maquinista que pare um pouquinho, logo ali nas mangueiras!

Essa junção de pessoas tão diversas, com tantas histórias, proporcionou um encontro de culturas e a influência africana nas manifestações culturais e religiosas são o grande legado: A Estação Primeira de Mangueira.

Juntar pessoas diferentes tornou-se uma marca de Mangueira. Vamos tomar uma cervejinha ali no Só para quem pode para continuarmos a nossa prosa.

Pelo som dos seus tamborins e o rufar do seu tambor…

Malandro, toma jeito! Esse bar aqui não é pra qualquer um. Quem não queria entrar no ensaio da Estação Primeira vinha pra cá. O bar sempre foi muito respeitado e servia de ponto de encontro para a nata do samba. Entre um petisco e uma dose, era possível trocar dois dedos de prosa com Padeirinho, Zagaia, Martinho da Vila, Noca e tantos outros que abrilhantam o nosso universo. Aqui que o samba se encontra.

E tu sabe, malandro, que papo de sambista é samba. Daqui saiu muita coisa boa, além de muitas histórias. Só não pode vacilar, malandragem. Senão o caldo engrossa. Se quer sambar em Mangueira, aqui é o lugar certo. Pergunta só ao Jamelão!

E são eles, verdes Periquitos…

Cara, tu lembra dos Periquitos? Malandro, quanta saudade! Naquela época a Mangueira estava bombando tanto, que foi preciso separar a escola do povão. Daí que surgiu a primeira ala da Mangueira. E, olha só, a primeira ala do Brasil!

Rapá, e os Boêmios? Dá até vontade de chorar!  Sabe que essa parada de separar a escola do público abriu a porteira para o surgimento das alas técnicas, ou seja, que ajudam a escola a desfilar. Os Boêmios também fazem isso.

O Valter Policarpo, lembra dele? Tomou gostinho pela coisa e, aqui mesmo, no bar, resolveu criar uma ala. E adivinha o nome? Isso mesmo: Só Para Quem Pode.

Nosso coração verde-rosa.

Rapaz, se liga que o trem que para em Manguinhos já vai chegar na estação! Que bom te encontrar, meu parceiro! Siga em paz e vai o verde-rosa e branco, unidos, num só coração!

JUSTIFICATIVA DO ENREDO:

Unidos de Manguinhos apresenta para o Carnaval de 2017 o enredo “Unidos de Manguinhos Apresenta…No só Para Quem Pode, Boêmios e Periquitos da Mangueira” homenageando as três alas técnicas da Estação Primeira.

A narrativa construída é do encontro de um malandro-sambista de Manguinhos que visita o Morro da Mangueira e é recebido por outro malandro-sambista de Mangueira, num plano astral que os leva a sentar no Bar Só Para Quem Pode para beber uma cerveja e falar sobre as memórias. E o que os une? A alma verde-rosa.

Como que da mesa do bar, pudessem ver as memórias desfilando aos seus olhos, tal qual faremos na avenida. Começamos falando da ocupação do morro, passando pelo surgimento da Estação Primeira, até chegar às alas que contribuíram para tantas glórias de Mangueira.

Com as bênçãos de Cartola, nossa fonte de inspiração, admiração e respeito, a Unidos de Manguinhos homenageia as raízes do samba através da Ala dos Periquitos, Ala dos Boêmios e Ala Só Para Quem Pode. Raízes fortes que dão fruto a vida inteira.

Viva a resistência do samba! Viva a Estação Primeira de Mangueira!

Manguinhos e Mangueira num só coração.

SAMBA ENREDO:

Autores:  Gilson Bernini, Macambira e Jorginho Bernini

Intérprete: Vadinho Freire

Oh! Bendito lugar… / Raiz do Samba… Comunidade

Traz a emoção em verde e rosa / Nesse canto de felicidade

Gente de todos os cantos / Foram construindo sua história

Lá vem Manguinhos no embalo desse trem / Trazendo as lembranças

Momentos de glória / Pelo som dos tamborins

E o rufar do seu tambor / Chegou ooo a Mangueira já chegou ôô

E no boteco vou bebemorar / A maladragem já formou a batucada

Tem que saber chegar pra não se atrapalhar / E deixa o samba invadir a madrugada

Escola de vida… A nossa nação / É arte… Cultura… Virou religião

Celeiro  de bambas / Poetas Imortais / A supercampeã de tantos Carnavais

Só para quem pode no meu coração / Salve os boêmios da primeira estação

Sou periquito eu sou… A vida inteira / Quem é Manguinhos também é Mangueira.