Grêmio Recreativo Escola de Samba Unidos de Cosmos

Meu coração / Explode de alegria / Cosmos é a estrela guia / Que ilumina a passarela / Teu pavilhão verde e branco / Quando chega tremulando / A energia que emana / Me leva a delirar / Cosmos eu nasci pra te amar!

Bandeira_do_GRES_Unidos_de_Cosmos

Fundação: 01/01/1948 (69 anos)

Cores: Verde e Branco

Símbolo(s): Estrela

Bairro: Cosmos

Sede/Quadra: Rua Iguaraçu, 191, Cosmos, RJ

Barracão: Rua Carlos Xavier, s/nº, Campinho, RJ

Presidente: Rafael Júnior

Presidente de Honra:

Vice-Presidente:

Escola Madrinha: Unidos de Bangu

Bateria: Estrela Guia da Zona Oeste

13754674_1037517313011426_1004341571579123460_n

História: O G. R. E. S. Unidos de Cosmos é uma entidade carnavalesca da Zona Oeste Carioca, do distante bairro de Cosmos.

A Unidos de Cosmos é a mais antiga escola de samba da Zona Oeste Carioca em atividade, tendo sido fundada em 01/01/1948 com as cores verde e branca. Ela surgiu do Bloco Carnavalesco União de Cosmos que tinha as Cores azul e branca, de 1946. Os seus principais fundadores foram: Oswaldo Augusto Albuquerque, José Lima, Adelino Moreira, Francisco Hilário Gomes, Isaac Barbosa e seu Artur. Os primeiros sambas da Unidos de Cosmos foram compostos pelo compositor luso-brasileiro Adelino Moreira até a formação da ala de Compositores da escola a partir de 1950.

A agremiação desfilou na Praça Onze, desde a sua fundação até 1952 quando foi suspensa dos desfiles oficiais devido não ter passado com o seu pavilhão e a sua diretoria no carnaval de 1952, quando caiu uma tormenta sobre a Cidade do Rio de Janeiro nos dias de carnaval.

De 1953 a 1968 desfilou nos carnavais de Campo Grande, Santa Cruz e Itaguaí, por não conseguir autorização para retornar aos desfiles oficiais do Centro do Rio de Janeiro pela Confederação das Escolas de Samba do Brasil.

Em 1969 fez um desfile sem subvenção para voltar aos certames oficiais do carnaval do Rio de Janeiro, todavia a Confederação das Escolas de Samba do Brasil não oficializou o desfile da Unidos de Cosmos.

Em 1970 um novo desfile de avaliação desta vez pela Associação das Escolas de Samba da Guanabara sendo aprovada neste desfile. Em 1971, com o enredo “Exaltação ao Negro Brasileiro” retorna as disputas oficiais, obtendo o 9° lugar no grupo B.

De 1971 a 1992 perenemente no carnaval do Rio de Janeiro. Destacando-se com vários carnavais: Em 1972 “Epopéia Carioca”, em 1976 “Candomblé, culto a Magia Afro-Brasileira, em 1980 “Brasil também é Criança”, em 1981 “Enfim a felicidade”, do saudoso carnavalesco Ney Ayam, em 1985 “Chegou o General da Banda”, em 1986 “Guerreiro Verde”.

Nos anos 90 a Unidos de Cosmos passou por várias crises quase desaparecendo como Escola de Samba. O Sociólogo e Professor José Geraldo dos Santos assumiu a Escola no auge da crise em 1999 e trabalhando com determinação re-filiou a Unidos de Cosmos em 2002, obtendo no carnaval de 2003 o vice-campeonato do grupo de acesso E com o belíssimo enredo “Cosmos 5.5 Reverencia Heitor dos Prazeres”. A partir deste carnaval a verde e branco vem crescendo ano a ano orgulhando-se de ser escola que, tem muito chão.

Importantes personagens da escola: Oswaldo Augusto Albuquerque, José Lima, Francisco Hilário Gomes, Isaac Barbosa da Silva, o compositor Adelino Moreira, o compositor e carnavalesco Luís Fernando Reis, Dr. Alcyr Soares “Tiririca”, Cabo Oliveira, Capitão Braga, Zé Aristótes, Professor Altayr Tuté e Dona Isaura, a baiana mais antiga da escola, Dona Pretinha, Passista Índio, Jorge do Opala, Rita (Garota Samba), Oswaldinho, Didimo, Mestre Áureo, Manuel Macumba.

Fonte: https://gresucosmos.wordpress.com/historia/

img_1339194429_834

Carnaval 2018

Grupo: Série D

Ordem de Desfile: 2ª Escola a desfilar no Domingo, dia 11/02/2017, na Estrada Intendente Magalhães, Campinho/RJ

Enredo:

Unidos-de-Cosmos1

Logo:

Sinopse:

Carnavalesco:

Diretor de Carnaval:

Diretor de Harmonia: Marilza Silvério

1º Casal de MS e PB: Suelen Martins

2º Casal de MS e PB:

Coreógrafo da Comissão de Frente: Alexandre Souza Medeiros

Coordenadora da Ala de Passistas: Larissa Mendes Oliveira

Diretora da Ala das Baianas:

Diretor da Velha Guarda:

Presidente da Ala de Compositores:

Diretor de Bateria: Mestre Márcio André

Rainha de Bateria: Milli Morena

Madrinha da Bateria: Mônica Rocha

Musa da Escola:

Assessoria de Imprensa:

Autores do Samba-Enredo:

Intérprete: Fabrício Alves

Cantores de Apoio: Rodrigo Cardoso “Chocolate”, Flávio Climagia e Tom Moreno

Samba-Enredo: