FEDERAÇÃO DOS BLOCOS CARNAVALESCOS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO – FBCERJ – GRUPO A – CARNAVAL 2019

3 – GRÊMIO RECREATIVO BLOCO CARNAVALESCO DO BARRIGA

BARRIGA

Fundação: 20/01/1944 (74 anos)

Presidente Administrativo: Fernando Florenço

Cores: Azul e Branco

Sede/Quadra: Rua Mar Grande, 332, Cordovil, Cidade Alta, Rio de Janeiro, RJ

Bateria: Braço Forte

Diretor de Bateria: Mestre Fernando Mira Ferraz Franco

Rainha da Bateria: Marcelle Frazão

Escola Madrinha: Estação 1ª de Mangueira

ENREDO: “A COR DO PECADO”

Carnavalesco – Raphael Ladeira

Sinopse

– Abertura

Hoje eu “tô que tô”, como o diabo gosta. Bicho solto a colorir a avenida com as cores do pecado de todos nós, ardendo em uma incontrolável febre de alegria, atraído pelas cores e sabores das tentações espalhadas no caminho da folia, repleta de prazeres que tanto nos seduz.

Derramando malícia, sem censura, sem disfarce, entregamo-nos sem temor e essa tentação danada, em forma serpente, que nos induz ao sonho, nos conduz à dança das ilusões, provamos dessa maçã tão desejada, deixamo-nos seduzir por sua desordem embriagadora, libertemos as feras que se escondem em cada um de nós, pois pecar é humano, e somos todos pecadores nesta ciranda de cores que é a vida.

Então que atire a primeira pedra aquele que nunca pecou, pois nesta folia somos réus confessos, meu bem.

– 1º Pecado: O Orgulho

E sem falsa modéstia, orgulhoso e envaidecido que sou, afirmo eu me amo e não conheço ninguém mais bonita que eu.

Sou charmoso sim, eu sou vaidoso, eu sou mais eu, o meu azul vem enfeitar a passarela e não tem esta ou aquela que vai conseguir me ofuscar, sou o pavão desta folia, hoje eu vim pra brilhar.

– 2º Pecado: A Inveja

Seu olho grande não vai me pegar, sai pra lá seca pimenteira “oju crecre”, “a quenda”, você sabe, sou mandingueiro, carrego patuá, comigo não se brinca, trago figas de guiné, galhos de arruda, olho-de-boi, guias e de tudo mais para me proteger. Vou despachar o seu “ebó” para bem longe, não estou de brincadeira.

– 3º Pecado: A Avareza

Pois eu não parto, nem reparto, fico com todas as partes, eu sou assim, assumo, quero tudo pra mim, se é ouro ou prata, eu seguro, não divido com ninguém, o meu negócio é engordar o “cofrinho”. Entoando uma famosa marchinha, “Ei, você aí, me dá um dinheirão aí, me dá um dinheiro aí…”, lá vou eu na trilha do pecado e acumular tesouros incalculáveis.

– 4º Pecado: A Preguiça

Como diz a filosofia da malandragem, camarão que dorme, a onda leva, então pode me chamar de otário, de mané, pois sou o amigo do despertador, não dispenso aquela esticadinha no sono quando nasce o sol, gosto tanto, me enrosco e sou até professor dessa matéria.

– 5º Pecado: A Ira

Irado com vida, estou enlouquecido com as coisas desse meu país, toco surdo, repique e bato panela, chamando todos para gritarem, contra a corda que colocaram em nosso pescoço. É a irada braço forte, roxa de raiva, com nariz de palhaço dizendo que o pau vai comer.

– 6º Pecado: A Luxúria

Mas já é madrugada… Não tem jeito… A carne é fraca e o momento de “enlouquecer, se entregar ao prazer, amar sem limites”, viver “Mil e Uma Noites” de amor, à paixão e aos prazeres da carne, em beijos ardentes e num entrelace de corpos suados, temos a luxúria se manifestando com todo fulgor.

– 7º Pecado: A Gula

Herdeiro de Momo que sou, quero é mais poder encher a pança, e de tudo um pouco degustar, o que vier eu traço, minha fome é por dois. Pois favor, não me tire da mesa, traz logo a sobremesa e um cafezinho depois.

– 8º Pecado: O Carnaval

E nesta noite de gala, deixo quem quiser julgar. É carnaval, pecado rasgado, é a massa, o povo sem juízo a cair na folia, com a música levada na garganta, mantida no ritmo de si mesma, no júbilo de viver, sob a luz do Redentor, que de braços abertos perdoa todos os nossos pecados.

*Agradecimento especial ao nosso colunista e diretor cultural da FBCERJ Júlio César Ferreira.

bebca058-1922-4741-b41e-7ae1d93c1cfe