FBCERJ/GRUPO A – Confira a Sinopse da Mocidade Unida da Mineira

Publicado por

CARNAVAL 2020

FBCERJ / GRUPO A

GRÊMIO RECREATIVO BLOCO CARNAVALESCO MOCIDADE UNIDA DA MINEIRA

Presidente – Cláudio Jorge Elias “Nem”

Ordem no Desfile – 5º Bloco de Enredo a desfilar

82956540_180862843024238_6834437907432865792_n

 

Enredo: NO BALANÇO DA MINEIRA, A ESTÁCIO VAI CHEGAR!

Carnavalesco – Darlen Higino

O objetivo do enredo: desenvolver o tema em que o G.R.E.S. Estácio de Sá que será a personagem principal do nosso carnaval. A proposta é falar dessa ilustre agremiação que faz parte do cenário cultural carioca e contrasta com a história do Rio de Janeiro.

O G.R.E.S. Estácio de Sá, conhecida popularmente como berço do samba, é celeiro de bambas do carnaval, de vários artistas oriundos do boêmio bairro do Estácio, onde fica situado o Morro de São Carlos, reduto da agremiação.

O enredo estará focado principalmente nos temas mais relevantes que o G.R.E.S. Estácio de Sá apresentou nos carnavais mais emblemáticos da sua história, dando enfoque às ilustres personalidades da história da agremiação.

Sua história se confunde com a formação das escolas de samba. A explicação é simples: “vem de lá, vem de lá”, a origem da Estácio de Sá é a “Deixa falar”, considerada pelos pesquisadores como a primeira escola de samba do mundo.

No ano de 1927, fundada por Ismael Silva, nascia a escola de samba “Deixa Falar” que foi referência para o surgimento de outras agremiações, inclusive no próprio morro de São Carlos, base atual da Estácio.

Foram fundadas as escolas: “Cada ano sai melhor”, “Vê se pode”, “Recreio do São Carlos” e “Paraíso das morenas” até que em 1955 essas escolas de samba se fundiram para a criação da “Unidos de São Carlos”. Posteriormente, no carnaval de 1983, a Unidos de São Carlos se torna G.R.E.S. Estácio de Sá, trazendo como símbolo o Leão e as cores vermelho e branco em referência a Deixa Falar.

A Estácio de Sá é, indiscutivelmente, é o berço do samba carioca, onde muitos vinham aprender e compartilhar o samba. Localizada no bairro que foi o centro da grande malandragem no princípio do século passado, a Estácio de Sá é a grande homenageada do bloco Mocidade Unida da Mineira. Com carnavais memoráveis, que estão no imaginário popular carioca até hoje, os carnavais de 1975 (A festa do Círio de Nazaré) e 1976 (Arte negra na legendária Bahia). Em 1985, o enredo Prata da Noite homenageou o ator Grande Otelo, em 1990 Langsdorff, delírio na Sapucaí e 1991 Brasil, brega e kitsch.

Antes do campeonato, a Estácio de Sá obteve sua melhor classificação em 1987, com o enredo O ti-ti-ti do sapoti. Dando continuidade a um tipo de enredo satírico, descontraído, mas consequente, a Estácio apresentou, em 1988, O boi dá bode e em 1989, Um, dois, feijão com arroz a Estácio de Sá conquistou sua maior glória sagrando-se campeã do carnaval do Rio de Janeiro em 1992 com o enredo Pauliceia desvairada – 70 anos de Modernismo, Em 1993 a escola apresenta o enredo “A Dança da Lua” No carnaval de 1994, com o enredo “S.A.A.R.A. …A Estácio chegou no lê lê lê de alalaô” falava sobre o comércio do Saara. Em 1995, faz o enredo Uma vez Flamengo, aproveitando o centenário do time de maior torcida do Mundo, sai ovacionada da Sapucaí. Em 1996 a Estácio apresenta o enredo “De um novo mundo eu sou, uma nova cidade serei”. Em 1997, a escola chega com o enredo Através da Fumaça, o Mágico Cheiro do Carnaval Em 2000, a escola levou o enredo Envergo, mas não quebro, Em 2001, a escola leva pro sambódromo o enredo E aí, tem patrocínio? Temos: José, sobre o jornalista José do Patrocínio. Em 2002, a escola levou para a avenida o enredo Nos braços do povo, na passarela do samba… Cinqüenta anos de O Dia não foi bem e quase foi rebaixada, em 2003, a escola levou para Sapucaí o enredo Um banho da natureza – Cachoeiras de Macacu. Em 2004, a Estácio levou para a avenida o enredo A Estácio é Dez, o Brasil é Mil e a Fome é Zero. Em 2005, com a reedição de seu tema de 1976, Arte Negra na Legendária Bahia, a Estácio conquistou o título do Grupo B. O desfile foi arrebatador e a escola conquistou todas as notas 10. Em 2006, venceu o Grupo A com a reedição do enredo Quem é Você?, de 1984. Em 2007, depois de nove anos, a Estácio voltou ao Grupo Especial, onde abriu o desfile das escolas de samba do Grupo Especial, no domingo de carnaval, reeditando o samba-enredo O ti-ti-ti do sapoti, de 1987. Em 2008, de volta ao grupo de acesso A, a escola trouxe como enredo A história do futuro. Em 2009, a escola trouxe enredo Que chita bacana! Em 2010, a escola trouxe o carnavalesco campeão em 1992 (Chico Spinoza) e traz o enredo sobre sua própria história, desde sua fundação, em 1927, com o nome de Deixa Falar, denominado Deixa Falar, a Estácio é isso aí: Eu visto esse manto e vou por aí.

Para o Carnaval de 2011, com o enredo “Rosas”, a Estácio de Sá conquistou a 3ª colocação, com um belo desfile, saindo aclamada campeã do grupo de acesso pelo público e pela mídia. Em 2012, a escola optou por homenagear a modelo e ex-rainha de bateria Luma de Oliveira. Em 2013, assim como no ano anterior, a escola resolveu apostar em outra homenagem, dessa vez com o maestro Rildo Hora. O desfile foi apontado como um dos mais bonitos e emocionantes da sexta de carnaval. Em 2014, a Estácio desponta com o enredo “Um Rio à beira mar: ventos do passado em direção ao futuro!

Para 2015, a Estácio desenvolver o enredo “De braços abertos, de janeiro a janeiro, sorrio, sou Rio, sou Estácio de Sá!” que homenageia os 450 anos da cidade do Rio de Janeiro, o enredo foi uma sugestão do prefeito Eduardo Paes para comemorar a data. Em janeiro de 2015, a escola chegou a anunciar o intérprete Quinho para integrar o carro de som da escola, mas o mesmo desistiu e acabou migrando para o Império da Tijuca. Com um desfile bonito, mesmo com alguns problemas, a Estácio somou 299.7 pontos e se sagrou campeã da Série A, sacramentando assim seu retorno ao Grupo Especial após 8 anos de ausência. Em 2016 no seu retorno a elite do samba enredo sobre São Jorge. Em 2017, uma bela homenagem ao cantor Gonzaguinha. Em 2018 a Estácio optou por um enredo sobre o comércio popular do Rio de Janeiro com o tema “No pregão da folia, sou comerciante da alegria e com a Estácio boto banca na avenida”. No desfile de 2019, a Estácio homenageou o Cristo Negro de Portobelo com o enredo “A fé que emerge das águas”. Fazendo uma bela apresentação, a escola do São Carlos conquistou o título da Série A obtendo a pontuação máxima e garantiu seu retorno ao Grupo Especial no carnaval de 2020, ano que o G.R.B.C. MOCIDADE UNIDA DA MINEIRA, um dos braços da comunidade do São Carlos e também reduto da ESTÁCIO DE SÁ, vem com muito orgulho prestar uma homenagem a essa grande escola de samba, patrimônio cultural e artístico do Brasil, verdadeiramente, o berço do samba.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s