Carnaval 2022 – Unidos do Cabral / Avaliação

Publicado por

GRÊMIO RECREATIVO ESCOLA DE SAMBA UNIDOS DO CABRAL

A Escola de Samba do Bairro!

O samba é minha lei / A bandeira é meu altar / Sou Unidos do Cabral / E faço o povo delirar

Vejo toda cidade feliz / De azul, vermelho e branco / Enfeito o carnaval / Sou amor, sou poesia, sou Cabral

Fundação: 22/02/1953 (68 anos)

Cores: Azul e Vermelho

Símbolo(s): Caravela, Sol

Escola Madrinha: G. R. E. S. Acadêmicos do Salgueiro

Santo Padroeiro:

Bairro: Cachambi

Sede/Quadra: Rua Álvares Cabral, 140, Cachambi, Rio de Janeiro, RJ

Barracão: Rio de Janeiro, RJ

Presidente Administrativo: Leonardo Barbosa Cavalcante “Léo”

Vice-Presidente Administrativo:

Presidente de Honra:

Diretora de Finanças: Lidiane Bastita

Diretor de Infraestrutura e Logística: Rodrigo Peçanha

Diretor de Obrigatoriedades: Thiago Xuxa

Diretor de Eventos: Daniel Ricardo

Diretor de Quadra: André Giannini

Carnaval 2022

Grupo: Avaliação da Superliga

Ordem de Desfile:_ª Escola a desfilar no Sábado das Campeãs, dia 05/03/2022, na Estrada Intendente Magalhães, Campinho, RJ

Enredo: “MOVIMENTO”

Logo: Divulgada

Autora da Logo: Orádia Porciúncula

Sinopse: Divulgada

Autor da Sinopse: Leonardo Soares

Conheça o enredo da Unidos do Cabral para 2022

Carnavalesco: Leonardo Soares

Diretor de Carnaval:

Diretor Geral de Harmonia: Sandro Moreira

Diretor de Alegoria: Leonardo Siqueira

Diretor de Fantasias: Suzett Souza

1º Casal de MS e PB: Leonardo Santana e Izabel Rachel

2º Casal de MS e PB:

Coreógrafo da Comissão de Frente: Sanderson de Lima

Diretora da Ala de Passistas: Márcia Cristiane

Diretora da Ala das Baianas: Vivianne Gitahy

Diretor da Galeria da Velha Guarda:

Presidente da Ala de Compositores: Ricardinho Professor

Vice-Presidente da Ala de Compositores: Denis Moraes

Bateria: Ritmo da Marola

Diretor Administrativo da Bateria: Jean Marques

Mestre de Bateria: Rodrigo da Mary “Rodrigo Capitão”

Rainha de Bateria: Mariane Paulla

Madrinha da Bateria: Martinha Andrade

Rei da Bateria: Daniel Ricardo

Musa(s): Maria Eduarda (Comunidade), Rafaela Pereira (Harmonia), Mirian Kelley (Compositores), Natasha Splendory (Trans)

Muso(s): André Louis

Diretor de Marketing e Redes: Thiago Mendes

Assessoria de Imprensa:

Autores do Samba-Enredo:

Intérprete: Kunta, Henrique Oriente

Samba-Enredo:

*

 

aaa

História: O G. R. E. S.  Unidos do Cabral é uma escola de samba da Zona Norte da cidade do Rio de janeiro.

A Unidos do Cabral foi fundada como Associação Atlética Unidos do Cabral. Na verdade é um time de futebol que conquistou vários troféus. Passou a ser um bloco de sujos nas cores do time (preto e branco) em 1961. Era um sucesso… Os ensaios nas ruas do Cachambi começava com meia dúzia de foliões, mas por onde desfilava ia arrastando o povão. No ano seguinte mudou as cores para vermelho e branco e filiou-se a Federação dos Blocos Carnavalescos, apresentando-se oficialmente na Praça Onze, com o enredo “Bahia” em 1963, sob a presidência de Helio Soares, o popular “Helinho”.

Aos poucos, o Cabral ia crescendo. O primeiro título, em 1967, veio com “Exaltação a Imprensa” e mais, o bicampeonato com “Paulistas e Emboabas” durante a gestão de José Rodrigues de Barros, o “Pernambuco” carinhosamente assim chamado. 1969 continuava a saga de lutas e conquistas,com um dos mais valiosos prêmios no mundo do Samba. “O Curumim de Ouro” oferecido pela TV Tupi RJ. Somente o G.R.E.S. Acadêmicos do Salgueiro, B.C. Bafo da Onça e Unidos do Cabral, podem se orgulhar deste tento.

No ano de 1971, com o presidente eleito Jorge Cyriello, o Cabral passa a contar com uma quadra coberta e própria. Pensando na comunidade fora construída a creche “Xodozinho do Cabral”. Cyriello, reeleito em 1973, 1974 e 1976 conquistou por meio de votação dos aproximadamente 150 presidentes dos Blocos Carnavalescos do Rio de Janeiro, o título de melhor Presidente, relações públicas e comunicador do samba. Por suas mãos dezenas de artistas passavam a prestigiar ainda mais o Unidos do Cabral.

O Unidos do Cabral em 1976 apresentou um de seus maiores desfiles. Mais de 2000 pessoas fizeram parte do enredo “Bahia Branca de Menininha”. Sucesso também, graças ao samba de J. Barroso, gravado em LP, executado diariamente nas rádios, inclusive até na Bahia. Vale ressaltar que em 1981, homenageando o mestre Nelson Cavaquinho com “Se alguém quiser fazer por mim que faça agora” e embalado pela composição de Frank e Baiano do Cabral (considerado por muitos como um dos melhores sambas de todos os tempos) o Cabral começava a se aperfeiçoar cada vez mais para em 1989 com “Festa da Xuxa”fazer um desfile impecável… A Imprensa, co-irmãs e o povo dava como certa a nossa vitória, porém, ficamos com a segunda colocação. Nos anos seguintes, “A fantástica Elba Ramalho” e “Jorge Benjor o batuqueiro da alegria” em 1991, terminava o ciclo como Bloco de Enredo, devido as incansáveis lutas e algumas decepções.

Após uma série de reuniões em 1997 fica resolvido que a Unidos do Cabral se transforme em A.A.G.R.E.S. e solicitou a sua filiação à Associação das Escolas de Samba da Cidade do Rio de Janeiro. Por ser o Cabral a única agremiação carnavalesca, esportiva, recreativa e social do bairro do Cachambi, com 46 anos de existência.

Em 1998 se apresenta finalmente como escola de samba. Com o enredo “A visita do Samba a pérola do oriente: Hong Kong”. A linda comissão de frente fantasiada de Damas Orientais arrancou aplausos de todos os presentes no desfile do grupo de Avaliação. Foi um desfile de beleza plástica contagiante onde cada componente deu o melhor de si. Conseguiu então ascender para o Grupo E.

Em 1999 o enredo “Diana, a princesa que encantou o mundo” criou certa polêmica pois muitos achavam que a escola não seria capaz de montar o desfile, e, apesar de todas as dificuldades e imprevistos de última hora a escola consegue apresentar-se e surpreende obtendo excelente classificação e ascende ao Grupo D.

Permaneceu por cinco anos no grupo D até conseguir ascender ao C, em 2004. Em 2006 conseguiu seu melhor resultado, um quarto lugar no grupo. Porém, em 2009, foi rebaixada ao D,

Em 2009, a agremiação preparou um enredo falando sobre o combate à dengue: a comissão de frente desfilou com trajes irreverentes, onde os integrantes representavam pessoas de diferentes classe sociais combatendo o mosquito, de diversas formas, inclusive uma integrante segurava uma raquete elétrica. Foi uma das rebaixadas ao grupo D.

Em 2010 desfilou no Grupo D e não foi bem novamente. Com um desfile repleto de problemas, inclusive sem ala das baianas nem alegorias, acabou ficando na última posição, retornando ao grupo E no carnaval de 2011, depois de doze anos.

Com a criação do Grupo de avaliação, em 2015 o Cabral voltou a ser escola de samba, após desfilar alguns anos como bloco de enredo filiado à FBCERJ. No ano seguinte, apresentou um enredo sobre o vento, onde o carnavalesco, Leonardo Soares, desfilou no abre-alas, vestido de borboleta, com diversos ventiladores a sua volta. Não fosse uma punição por propaganda, a escola teria sido vice-campeã.

Fonte(s): Samba na Intendente, Blog Carnaval de Avenida, Academia do Samba e Wikipédia

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.