UNIÃO DE JACAREPAGUÁ

Imaginem se alguém resolver perguntar aos sambistas atuais sobre a seguinte questão: qual foi a primeira escola de samba do carnaval carioca a ser visitada por um presidente da República?

Certamente as mais votadas serão as quatro escolas tradicionais da fase da consolidação dos desfiles – Mangueira, Portela, Salgueiro e Império Serrano.

A resposta, entretanto, é outra. A primeira escola a receber a visita de um chefe de Estado foi a União de Jacarepaguá, visitada, em 1958, pelo presidente Juscelino Kubitschek. Há uma explicação. Naquele carnaval a escola desfilou com o enredo Vultos do Brasil – De Cabral a Brasília, homenageando o presidente que estava liderando a construção da nova capital.

Era, apenas, o segundo carnaval da escola da Baixada de Jacarepaguá, Zona Oeste do Rio de Janeiro. A União de Jacarepaguá havia sido fundada em 1956, no dia 15 de novembro, a partir da fusão de duas escolas de samba da região, a Corações Unidos de Jacarepaguá e a Vai Se Quiser. A fusão está representada no nome – União – e no símbolo da agremiação – um aperto de mão simbolizando o acordo que deu origem à nova escola.

Apesar de não desfilar no grupo principal desde 1966, a União se caracterizou durante muito tempo pela excelência de sua ala de compositores.

Seus principais sambas são: As sete portas da Bahia de Carybé, de 1973; Acalanto para Uiara, de 1976; Banzo, de 1977; e Cor, ação e samba, de 1978.

Dentre os nomes importantes na história do samba de enredo que já compuseram para a escola estão, por exemplo, Catoni, autor de Dom João VI no Brasil (1961); Mauriceia em noite de festa (1981); e Mar de ilusões (1992); e Norival Reis, que fez Acalanto para Uiara, Banzo e Cor, ação e samba. A União de Jacarepaguá é também detentora de três Estandartes de Ouro.

Autores dos vídeos: Leonardo Fernandes e Celso Cruz Jr respectivamente.

Texto do Livro Samba de enredo história e arte de Alberto Mussa e Luiz Antônio Simas,  Ed. Civilização Brasileira, de 2010