Com calendário curto, final acontece dia 30 de setembro

A Unidos do Jacarezinho dará início à disputa de sambas que concorrerão ao hino oficial da agremiação para o Carnaval 2019, neste domingo, 2 de setembro. A competição, que começará às 19h, contará com a apresentação das cinco composições concorrentes.

Às 19 horas a escola abre as suas portas para a abertura oficial do Carnaval 2019, a partir das 20h, antes da apresentação dos sambas concorrentes, intérpretes, casais de mestre-sala e porta-bandeira, passistas, baianas, velha-guarda e a bateria “Ritmo Suburbano” de mestre Darllan farão o show da agremiação.

Com o enredo “Nzungu – O Quilombo Negro de Resistência, vamos fazer barulho de preto na Avenida”, do carnavalesco Eduardo Gonçalves, a escola promete um grande samba para embalar seu desfile pela Série C que acontecerá na segunda-feira de Carnaval, dia 4 de março na estrada Intendente Magalhães.

Confira as parcerias concorrentes:

Samba nº 1 – Compositores: Lucas Donato, Matheus Machado, Marcos Vinícius e G. Tadeu

Intérpretes: Lucas Donato e Maykon Rodrigues

Iyá, tira o teu filho da senzala / Iyá, coroa teu menino no congá

Dá alimento a quem viveu no cativeiro / Retira todos sonhos do fogão

Nzungu, a liberdade nas bancadas / Ingrediente para Ilê, morada

Iyó, à beira do cais, o fundamento / De Orí, superior, ensinamento

Canta, pra vencer o mal / Dança, pra afastar a dor

Bate cabeça quando toca o adjá / Dagô, dagô

 Ìran, sentinela, luta contra opressão / Bota Ipá em Nzungu, prevalece a união

Dos que ainda travam batalhas / Não se curvam à chibata

Nem se contentam com a miséria na favela / Dos que nas veias corre sangue quilombola

E que, da “Pedra”, fizeram do samba uma escola / Axé, Jacarezinho, em busca da vitória

Hoje dobro o rum em resistência / Brado n’aldeia, o meu canto tem valor

Sou de um povo que não teme as mazelas / Odara negritude da favela!

Samba nº 2 – Compositores: Marcio Guerreiro e Araguaci

Intérprete: Márcio Guerreiro

Nzungu quilombo negro é fortaleza / O Jacarezinho eis a tua referência

Rio de Janeiro Paço Imperial / As mulheres negras / Quituteiras libertas ou escravas

Ganhavam a vida com suas barracas / Vendiam o famoso angú

Depois de conseguir algum dinheiro / As baianas mudaram-se para as casas

E foram reverenciar / Aos cantos e batucadas

Celebraram os seus orixás / Ganharam força dos ancestrais

Começaram a receber adesão / Dos escravos fugidos de outra região

Sede de resistência / Recriminada pela polícia / Que perseguiu esses encontros

A mando da justiça / Por isso vamos fazer barulho / De preto na Avenida

E lutar para a vitória / Da nossa querida Escola

Nesse carnaval / A comunidade é um centro cultural

Amada favela / Vamos cantar o nosso samba

 

Samba nº 3 – Compositores: Xande de Pilares, Marcos Feijão, Roxinho, Felipe Nazário, Giovane Mello, Gigi da Estiva, César Brandão, J Douglas e Zé Carlos

Intérpretes: Felipe Nazario, Giovane Mello, Roxinho e J Douglas

Busquei no século Passado / Ao Rio Antigo voltei / Gamboa Pequena África

Na Feira Livre delirei / Libertas negras quitandeiras / Famosas cozinheiras populares

Faziam angu a baiana, gostoso paladar / Assim surgiu a Casa de Resistência

Promovendo a cultura e lazer / Conquistando alforriados espalhando alegria e saber

 ôôô batuqueiros / ôôô tem festa no terreiro

Quilombola vem zoar / A nossa herança tem que respeitar

Erga nosso pavilhão / Que o Artista abraçou com humildade  dedicação

Aplausos pra quem lutou… / Cresceu, venceu… demonstrando seu valor

Gritos de Igualdade, veio da favela ecoando na cidade / Iremos resistir com esperança e dignidade

Comunidade guerreira / Jacarezinho é minha verdade

 Canta, dança meu quilombo / Sempre seremos resistência social

Derramando arte e cultura / Sou Nzungu no carnaval

 

Samba nº 4 – Compositores: Beléu, Allan Miranda, Leandro Santos, Henrique Santos, Ismael Peçanha e Salviano

Um grito negro ecoou / Alimentando fome de liberdade / De quem venceu o mal

Pondo à mesa sonhos / Buscando um novo destino / Onde encontrar felicidade?

Mostrou seu axé / Gingou pra dançar / Jogou capoeira

Cantou pro orixá / Bateu forte no tambor / Fez barulho na cidade

Libertou-se do opressor / Cultivando igualdade

Que a fé e a esperança na justiça / Esteja em cada um de nós

Na sede que a cultura nos sacia / Dê força, intensifique a nossa voz

Hoje chegou a hora de lutar / Para a vitória alcançar / Deixar falar o som do negro

Favela ô, favela! / Faz barulho na Avenida / Vem pedir respeito

Meu canto é, raça, forte é herança / A minha raiz é africana

Sou Jacarezinho, negritude é minha essência / Nzungu, Quilombo de resistência

 

Samba nº 5 – Compositores: Mauro de Paula, Fabiano Gigante e Fabio Malafaia

No coração da cidade / O “rumor de muitas vozes” se espalhava pelo ar

Comandadas por tias negras, cozinheiras yabás / Era nos zungus

Onde negros não se deixavam escravizar / Nesse quilombo da cultura africana

Gritos de liberdade se fizeram ecoar / O jongo, a capoeira eram tradição por lá

Ao som das palmas no terreiro, saudavam seus orixás

Cantando conquistavam seu espaço / Mostrando a força dos seus ancestrais

Vamos sacudir, asê meu dengo / Soltar o grito da garganta

Jacarezinho nossa escola aguerrida / Mostra sua garra se agiganta

Faz barulho de preto na Avenida / Com as cores D`África encanta

A favela é zungu…yorubá / Tem muita luta, raça e resistência

Com africanidade cultural, busca neste carnaval / A redenção e o caminho da vitória

Nos quatro cantos desse morro / Vamos resgatar nossa história

Tem calundus no Rio de Janeiro / Baianas com saias rendadas a girar

Em homenagem a esse povo festeiro / Preservando a cultura popular

O evento acontecerá na quadra de ensaios situada à Avenida Dom Helder Câmara, nº 2233. A entrada é franca. A grande final acontece dia 30 de setembro.

Serviço:

Apresentação dos Sambas Concorrentes – Carnaval 2019

Dia: 02 de setembro (domingo)

Horário: A partir das 19h

Local: Quadra de Ensaios – Av. Dom Helder Câmara, nº 2233

Valor da entrada: Franca

Classificação: Livre