GRÊMIO RECREATIVO BLOCO CARNAVALESCO ACADÊMICOS DO VIDIGAL

ENREDO: TEMPO, TEMPO, TEMPO…

SINOPSE

Em 2017, o Acadêmicos do Vidigal vai retratar o tempo.

Nesta proposta vamos abordar várias características e possibilidades da tirania soberana do tempo no tempo sobre todos os seres.

Por exemplo, o tempo metrificado, ou seja, o dia, a noite, o ontem, e o tempo do amanhã, podemos também caracterizar o tempo em sensações como o frio e o calor e também em dimensões como o tempo real, psicológico, fantasioso (utopia)…

Temos o tempo em ações, com tempo de sorrir, cantar, chorar, perder, ganhar, lembrar, esquecer e tempo das incógnitas do tempo, qual o tempo de uma vida? De um amor? Quando é a morte?

Podemos pensar no tempo nas relatividades, não sabemos se o tempo é curto ou longo, se passa rápido ou lento, mil anos pode ser pouco e pode ser muito, quanto tempo tem uma vida.

E sempre fica a mesma pergunta, quanto tempo temos?

TEMPO, TEMPO, TEMPO…

E sempre fica a mesma pergunta, quanto tempo temos?

Temos o tempo do dia, temos o tempo da noite, temos o tempo do calor, temos o tempo do frio, tudo isso é tempo.

Diante do tempo que temos, temos tempo de chegar, de ir embora, temos tempo de sonhar, sorrir, cantar, chorar.

Temos tempo de paz, temos tempo de guerra, mas nunca sem perder tempo de amar.

Contamos o tempo o tempo todo achando que temos tempo, mas esse tal de relógio… Ele que escraviza a gente.

E a gente sente que não vai dar tempo de correr contra o tempo. Ah! Se eu pudesse parar o tempo.

Não, não podemos. Mas podemos olhar aquela velha fotografia e ai sim, é como se pudéssemos congelar o tempo.

Tentamos criar nosso próprio tempo, esse tempo que inesgotável que existe e insiste em dar todo o tempo pra gente não ter tempo de contar o tempo.

Então termino dizendo, valeu, mesmo que não dê tempo.

TEMPO, TEMPO, TEMPO…

CARNAVALESCO JUNIOR O’HARA