ESCOLA MATE COM ANGU – CONFIRA A SINOPSE DA FLOR DA PRIMAVERA

Publicado por

GRÊMIO RECREATIVO BLOCO CARNAVALESCO FLOR DA PRIMAVERA

319927_120717604707740_9772866_n

Fundação: 09/09/2001

Quadra: Av. Marquês de Baependi, 598 A, Jardim Primavera, Duque de Caxias/RJ

Presidente: Jorge Luiz Cesário da Silva

Carnavalesco: Luiz Macêdo

Comissão de Carnaval: José Cesário da Silva

CARNAVAL 2017

ENREDO: ESCOLA MATE COM ANGU

1º Setor – NA ESTAÇÃO

Em 1920, o grande município de Caxias, era um lugarejo simples chamado Meriti, pertencente ao distrito de Iguaçu.

Próximo a estação de trem, em algumas quadras do centro, havia uns barracões que funcionava uma fábrica de explosivos,chamado de “Rupturitas”.

Nesta área tinham muitos jovens maltrapilhos, crianças pedintes, homens e mulheres envelhecidos que trabalhavam no corte de lenhas, para abastecer as fornalhas de trens.

D. Armanda Álvaro Alberto, professora, filha do médico Dr. Álvaro Alberto, veio do Rio para visitar a fábrica de explosivos. Ficou impressionada com que viu, resolveu morar em Meriti e fazer alguma coisa para esse povo carente. Muitas crianças não sabiam ler nem escrever.

Começou a dar aulas em baixo da sombra de um bambuzal, ao ar livre, para crianças filhos de famílias humildes. Os adolescentes não sabiam distinguir os nomes das cores.

2º SETOR – MATE COM ANGU

Um ano depois, Bernardino Jorge doou um barracão, situado no alto do morro, sem parede, o telhado de sapê. D. Armanda intitulou de “Escola proletária Meriti”.

No fundo uma casa de estrutura simples.

Um outro problema, com intenção de dar aulas para os trabalhadores da fábrica, não tinha luz elétrica. Só um ano depois que chegou luz elétrica ao Município.

Devido a situação das famílias carentes, falta de comida em casa, as crianças mais pobres e negras não compareciam as aulas para poder ajudar seus familiares. Por isso a escola passou à distribuir um tabuleiro de angu doce com mate na qual eram acostumados a comer desde da época da escravidão, ficou conhecida e chamada carinhosamente de “mate com angu”.

Foi criada uma caixa-escolar.

Com isso Dr. Álvaro Alberto podia fazer visita domiciliar, para tratar das famílias necessitadas dando assistência médica. Começou a conscientização de higiene.

Outra dificuldade era chegar a escola principalmente no dia de chuva, muito barro, dificultavam a subida das crianças e tornava-se perigoso.

3º SETOR – ESCOLA MODELO

Com a vontade de D. Armanda e o interesse de alguns comerciantes, foi construído em um lugar mais sólido, planejado pelo arquiteto Lúcio Costa, a Escola Regional de Meriti.

Foram criados cursos: trabalho manual, sabonetes.

A conscientização da necessidade de higiene constituía em como tomar banho, escovar dentes, como suar o nariz com lenço. Eram chamados “meus passarinhos”.

Com ajuda de amigos e dos alunos foi fundado uma biblioteca, um museu e um time de futebol: Rupturita futebol clube. O time era formado pelos trabalhadores da fábrica.

Sua filosofia era: saúde, alegria, trabalho, solidariedade.

Assim o primeiro colégio público em Duque de Caxias serviu como padrão para outras escolas e faculdades… Meriti, uma escola modelo.

FIM

Baseado na crônica de Guilherme Peres

Enredo: Luiz Macêdo

JUSTIFICATIVA

O G. R. B. C. Flor da Primavera vem apresentar para o carnaval 2017 a primeira escola pública que distribuiu merenda para os alunos no município de Duque de Caxias, que na época era chamado de Meriti.

Uma professora D. Armanda Álvaro Alberto, feminista atuante, sentindo-se sensibilizada com a carência de várias crianças perambulando pela estação de trem, pedindo esmola, maltrapilhas e sem estudo.

Resolveu dar aula à sombra de bambuzal, devido não ter um lugar próprio.

Com ajuda de amigos, foi doado um barracão com teto de sapê, sem parede que foi dado o nome Escola Proletária Meriti, no alto do morro. Mais tarde passando para o asfalto com o nome de Escola Regional de Meriti. Mais o nome que na realidade se propagou e popularizou, devido a merenda escolar, angu doce com mate. Foi chamada carinhosamente pela população de Escola Mate com Angu. Porque do Angu? A maioria eram descentes de negros que tinham sido escravizados, acostumado a comer desde a época da África. O pai de D. Armanda, o médico Dr. Álvaro Alberto, fazia assistência médica nas casas das famílias dos alunos mais carentes. Esta escola além do estudo comum, dava aula de higiene, trabalho manual, fundou uma biblioteca, museu, até um time de futebol com ajuda dos alunos e trabalhadores de uma fábrica de explosivos Rupturita. Esta escola serviu de exemplo pela determinação e garra de se construir uma educação melhor. Alias sua filosofia: Era saúde, alegria, trabalho e solidariedade. Por isso o nome do enredo é Escola Mate com Angu.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.