Grêmio Recreativo Escola de Samba Arranco do Engenho de Dentro

Na ilusão desta avenida, o Arranco é todo amor!

Bandeira_do_GRES_Arranco

Fundação: 21/03/1973 (44 anos)

Cores: Azul e Branco

Símbolo(s): Falcão

Bairro: Engenho de Dentro

Sede/Quadra: Rua Adolfo Bergamini, 196, Engenho de Dentro, RJ

Barracão: Av. Rodrigues Alves, 733, Fundos, Santo Cristo, RJ

Presidente: Tatiana dos Santos Irineu

Presidente de Honra:

Vice-Presidente: Juan Espanhol

Escola Madrinha: Portela

Bateria: Sensação

História: O G. R. E. S. Arranco do Engenho de Dentro é uma escola de samba da Zona Norte da cidade do Rio de Janeiro.

A história do que viria a ser o atual Arranco começou nos anos 60, quando foi criado por Oscar Alves de Azevedo um bloco de sujos, que saía nas ruas do Engenho de Dentro. Seu nome era uma alusão ao fato de que, quando passava, os foliões eram “arrancados” de suas casas para brincar o carnaval.

Em 1965, foi oficializada a criação da Sociedade Recreativa Carnavalesca Arranco, que neste ano desfilou na Praça Onze, pelo 1º Grupo da FBCERJ. Desta época, data uma grande rivalidade com um outro extinto bloco da região, o Vai se Quiser, que tinha as cores vermelho e branco.

Porém, a data de fundação oficial do Arranco como escola de samba é 21 de março de 1973. Seus fundadores foram: Aynarim Manaya da Costa “Mazola”, Claudir de Andrade, Carlos Pertusier F. da Silva, Djalma Ayres de Lima, Eros Mendes, Hélcio Guimarães Costa, Hélcio de Aguiar, Jocelyn Freitas, Joubert Albuquerque Nascimento, Luiz Carlos P. Maciel, Oscar Alves de Azevedo, Reinaldinho F. Martins, Sebastião Pereira, Walmir da Costa Neves e Wálter José da Silva.

A Portela foi convidada para ser a madrinha do Arranco. Como as cores da Portela são azul e branca, o Arranco adotou essas cores e adotou como símbolo o Falcão, “primo” da águia, que é o símbolo da escola de Osvaldo Cruz.

Em seu primeiro ano de desfile, em 1974, o Arranco apresentou o enredo “Estrela Dalva” e ficou na 7ª colocação no Grupo 3. Logo em seu segundo ano de desfile, a escola ganhou seu primeiro título, com o enredo “Ajuim-obá”.

A escola participou duas vezes do desfile principal: em 1978 “Sonho Infantil” e 1989 “Quem Vai Querer?“, sem, no entanto, conseguir se firmar no grupo.

Durante sua trajetória, a escola conquistou mais títulos: 1984 “As Aves que Aqui Gorjeiam” e 1988 “Pra ver a Banda Passar, Cantando Coisas de Amor“, pelo Grupo 1-B, 2ª divisão; e 1996 “Ser Brasil, Ser Brasileiro“, pelo Grupo B, 3ª divisão do carnaval carioca. A escola conquistou por duas vezes o prêmio Estandarte de Ouro do jornal O Globo de melhor samba do 2º Grupo: em 1977, pelo samba “Loguns, Príncipe do Efan”, e em 2006, com o samba “Gueledes, o Retrato das Almas“.

Fontes: Wikipédia e Samba na Intendente

Carnaval 2018

Grupo: Série C

Ordem de Desfile: 1ª Escola a desfilar na Segunda-Feira de Carnaval, dia 12/02/2018, na Estrada Intendente Magalhães, Campinho/RJ

Enredo: “POR UMA PONTE AO SOM DO MAR, CIDADE SORRISO VAMOS NAVEGAR!”

18813337_1168998079896397_2464689512538276222_n

Logo: Divulgada

Sinopse: Divulgada

https://sambanaintendente.blog/2017/06/08/confira-a-sinopse-do-arranco-do-engenho-de-dentro/

Carnavalescos: Ilvamar Magalhães e Júlio César Farias

Diretor de Carnaval: Dionízio Mendes

Diretor de Harmonia: Nélio Azevedo

1º Casal de MS e PB: Pedro Figueiredo e Paula Campos

2º Casal de MS e PB: Paulo Roza e Mariana Azevedo

Coreógrafos da Comissão de Frente: Gabriel Castro e Mariana Reis

Coordenador da Ala de Passistas:

Diretora da Ala das Baianas:

Diretor da Velha Guarda: Penha

Presidente da Ala de Compositores:

Diretor de Bateria: Mestre Ubirajara “Bira” Potyguara

Rainha de Bateria: Kamila Reis

Musa:

Assessoria de Imprensa:

Autores do Samba-Enredo: Moisés Santiago, Alexandre Cabeça, Mariano Araújo, Wagner Mariano, e Paulo Shell

Intérprete: Léo Simpatia

Samba-Enredo: Definido

Cidade Sorriso… De Araribóia / Verdadeiro dono desse chão

Valente guerreiro lutou com bravura / Protetor da nossa Guanabara

Anauê… Iluminado pelas bençãos de Tupã / Anauê… Foi catequizado em nome da fé

O fundador… O Herói da fortaleza / De São Lourenço o guardião da aldeia

É sangue de índio que corre em minhas veias

Mistura de agogôs e maracás / Surdo e tambor em rituais

A batucada é sensação de arrepiar / De azul e branco a minha tribo vai sambar

Terra hospitaleira / A pioneira em construção naval

A ponte tão suntuosa, monumento nacional

Bons tempos do velho cassino / No Mercado São Pedro as delícias do mar

A natureza verdejante / Outrora praias fascinantes / A arte e cultura a me banhar

O museu a brilhar / As escolas e o povo do samba vem te abraçar

No apito da barca / O Arranco chegou / E nessa festa o falcão vai brilhar

Na avenida um elo se constrói / Do Engenho de Dentro a Niterói