FEDERAÇÃO DOS BLOCOS CARNAVALESCOS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO – FBCERJ – GRUPO B – CARNAVAL 2019

4 – GRÊMIO RECREATIVO BLOCO CARNAVALESCO OBA-OBA DO RECREIO

18301012_1290702787711888_2032117546458996198_n

Fundação: 20/01/2009 (9 anos)

Presidente Administrativo: Júlio Araújo

Cores: Azul, Amarelo e Branco

Sede/Quadra: Av. Pedro Moura, 300, Recreio dos Bandeirantes, Rio de Janeiro, RJ

Autores do Samba-Enredo: Paulo Martins, Carlinhos do Cavaco, Bia Lopes, Felipe Pinto e Sidinho

Intérprete: Digu’s Silva

ENREDO: “A PALAVRA CHAVE É…”

Carnavalesco – Laerte Gulini

Sinopse

Nas escolas cristãs tradicionais antigas, a chave continha significação muito importante: recordava, aos candidatos à iniciação, a obrigação do silêncio e prometia aos profanos a revelação de mistérios profundos e quase impenetráveis. A chave representa a habilidade que o iniciado possui para abrir e se deslocar por entre diferentes níveis da realidade. É por esse motivo que figuras como o São Pedro cristão ou o Janus da mitologia romana são representados como portadores da chave.

No Cristianismo, ela é o emblema de São Pedro como o guardião da Porta do Céu, e a chave pode tanto confinar quando libertar. São Pedro, Vosso nome era Simão, que Jesus Cristo mudou para Pedro, a fim de ser a pedra sobre a qual o Senhor iria construir o templo da Fé. E lhe deu as chaves do reino dos céus; “e tudo o que ligares sobre a terra, será ligado também nos céus”. Ainda no Cristianismo, o símbolo da bandeira do Vaticano é duas chaves cruzadas. A mitologia greco-romana nos conta que existiu, em um passado muito remoto, um deus chamado “JANUS” e foi conhecido como o deus da “dualidade”, o deus da dupla face. Para a luz e as trevas, para o amor e o ódio, para o bem e o mal, para a felicidade e a infelicidade, para a sinceridade e a falsidade. Janus tinha duas faces, uma olhando para frente e outra para trás. Ele foi o inventor das guirlandas, dos botes, e dos navios, e foi o primeiro a cunhar moedas de bronze. Na mão direita ele segura uma chave. A chave do destino.

Na época dos reis de Israel era escolhido um homem para cuidar das finanças do reinado, e a este homem escolhido era dado uma figura simbólica que representava a sua posição, era uma enorme chave que era colocada sobre seu ombro chamada de “Chave de Davi”. Esta chave de Davi era o sinal de autoridade e confiança que o rei tinha pelo seu tesoureiro mor. Assim, hoje entregar uma chave simboliza entregar o controle de alguma situação ou responsabilidade. Nesta época, chaves prateadas normalmente se referem a um poder temporal, com o poder de desligar; enquanto uma chave dourada se refere a um poder espiritual, com o poder de ligar. Entre os ciganos, sonhar com um molho de chaves é sinal de que várias oportunidades surgirão para o sonhador quando colocado diante da necessidade de escolher entre duas portas. Na maçonaria, a chave é o símbolo da fidelidade e da discrição e, como tal, emblema do Tesoureiro de todas as lojas e ritos. Sonhar com chaves simboliza o desejo de encontrar uma forma para abrir, de sair, de achar soluções para os problemas. Se você perde uma chave nos sonhos, é indício de que as portas estão se fechando para você. Encontrar uma chave no sonho significa que você encontrou uma solução para um problema. Já uma chave quebrada no sonho significa muitas brigas e possibilidades de rompimento.

Continuando na literatura temos vários significados e sentidos para a chave. Pode ser um objeto usado para abrir e fechar uma fechadura; tem ainda o sentido fálico quando ela é inserida em uma fechadura. Também a chave pode ser um sinal (junto com colchetes e parênteses) usado para agrupar elementos matemáticos em operações diversas. Na música, a chave é uma clave musical. Na arte marcial, é um golpe usado para imobilizar o adversário. Enfim, a chave está presente em diversos momentos de nossa vida; principalmente no dia a dia quando necessitamos de ferramentas para consertar nossa rotina e procuramos as chaves de grifo, de fenda, de boca, etc.. Está presente também em todos os momentos de quem tem esta palavra em seu nome ou sobrenome. Um dos personagens infanto-juvenil que faz sucesso até hoje, despontou com o nome de Chaves, uma espécie de “chave de cadeia” do cortiço onde morava. Isso, isso, isso, fazemos um carnaval “chave de ouro” e com uma “chave-mestra” abrimos esse enredo fechado “a sete chaves”. O nosso bloco de enredo entrega esse “desfile-chave” ao Rei Momo e ao povo, desfilando na avenida a “chave do sucesso” para mostrar que nossa “palavra-chave” é ser campeão, encontrando nossa “chave da felicidade”.

*Agradecimento especial ao nosso colunista e diretor cultural da FBCERJ Júlio César Ferreira

Sem título