Coluna Os Blocos de Enredo Estão Aí de Júlio César Ferreira – Os concursos de blocos – Parte III

Publicado por

Os concursos de blocos – Parte III

Nesta edição da coluna, enfim, terminaremos de falar dos concursos dos blocos, agora tratando do período contemporâneo à criação da Federação dos Blocos Carnavalescos do Estado do Rio de Janeiro (FBCERJ). Chegara o momento de sua fundação.

Mesmo chancelando vários concursos de blocos, a partir de 1962, o poder público optou também por organizar certames, integrando-os ao calendário do carnaval carioca.

Porém, em 1964, diante da impossibilidade de reunir todos os inscritos aptos a participar em um único local de desfile, no mesmo dia – no caso, na segunda-feira de carnaval, na Praça XI – a Secretaria de Turismo optou em dividir os habilitados, inserindo as agremiações que se inscreveram por último para desfilar na Avenida Presidente Vargas, na segunda-feira de carnaval, após o desfile dos ranchos. O desfile na Avenida Presidente Vargas foi chamado de “concurso extra” e os blocos participantes denominados “independentes”.

Considero este desfile um importante marco na oficialização dos concursos de blocos carnavalescos. Além da necessidade de dividir os blocos inscritos em dois grupos, a Secretaria de Turismo pela primeira vez disponibilizou subvenção financeira aos blocos, reconhecendo a importância dos desfiles deste tipo de manifestação carnavalesca, que já reivindicavam tal ajuda.

Retomando o processo de produção de lugares carnavalescos a partir de disputas como um processo multiplamente presente na série de relações que conectam os atores inseridos neste campo, a Associação de Cronistas Carnavalescos promoveu de 1964 a 1966 o Festival de Blocos, nos mesmos locais dos desfies oficiais, tendo a diferença de ocorrer no final de semana anterior ao carnaval.

Por fim, prevaleceu a organização do poder público, que reconheceu a recém-fundada FBCERJ para, no carnaval de 1967, oficializar em caráter permanente o desfile e a subvenção aos blocos carnavalescos, estabelecendo como data de desfile o sábado de carnaval.

Observando a listagem dos blocos carnavalescos participantes dos concursos promovidos pela Secretaria de Turismo em 1964 e 1965, muitos destes constam da relação de fundadores ou de associados da FBCERJ desde seus primeiros anos, como: Quem Fala de Nós, Não Sabe o que Diz; Cometas do Bispo; do Barriga; Canários das Laranjeiras; Come e Dorme; Bafo do Bode; Arranco; Não Tem Mosquito; Foliões de Botafogo, dentre outros.

Em matéria publicada pelo Diário de Notícias, no dia 101/12/1965, na página 7, há informe sobre o registro da liga e o início de seus trabalhos.

‘Com o fim de congregar todos os Blocos numa entidade estadual e orientá-los como guardiões do folclore brasileiro e fontes da música popular, foi fundada nesta cidade a Federação dos Blocos Carnavalescos do E. da Guanabara, registrada no Cartório Civil das Pessoas Jurídicas sob no 14.406. A nova entidade tem sede na Av. Gomes Freire no 387, sala 1 e as reuniões se realizam às terças-feiras, na Rua do Riachuelo, 44 – 3º andar, sede da Confederação Brasileira das Escolas de Samba. A diretoria provisória está assim constituída: Vitalino Francisco Cardoso, Válter Ribeiro da Silva e Aureo Nazareno Vieira, respectivamente, presidente, secretário e tesoureiro.’

E, com isso, desde 1965, os blocos de enredo estão aí, e organizados, na mais antiga liga em atividade do carnaval, rumo a mais um Carnaval do Povão.

https://sambanaintendente.blog/2018/08/26/coluna-os-blocos-de-enredo-estao-ai-de-julio-cesar-ferreira-os-concursos-de-blocos-parte-ii/

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s