SAMBA NA INTENDENTE

Tradição / Carnaval 2020 / Série B

Publicado por

GRÊMIO RECREATIVO ESCOLA DE SAMBA TRADIÇÃO

Isto sim é a Tradição! Um beijo no seu coração!

Meu azul e branco é de verdade / Sou Tradição, amor, paixão, felicidade / Alegria da cidade!

Tradição / Azul e branco é o meu coração / És a razão da minha vida / Escola tão querida

Tradição só por você eu clamo / Só com você me sinto bem / Tradição eu te amo!

O couro vai comer / Tira o pé do chão / Chegou a minha escola / Chegou a Tradição

Imponho respeito e bato no peito / Vai ecoar a noite inteira o meu tambor / Um coração azul e branco / Voa alto meu Condor

Bandeira_do_GRES_Tradição

Fundação: 01/10/1984 (35 anos)

Cores: Azul Royal, Azul Turquesa, Branco, Ouro e Prata

Símbolo(s): Condor Imperial

Escola Madrinha: G. R. E. S. Império Serrano

Santo Padroeiro:

Bairro: Campinho

Sede/Quadra: Estrada Intendente Magalhães, 160, Campinho, Rio de Janeiro, RJ

Barracão: Rua Carlos Xavier, 397, Vila Valqueire, Rio de Janeiro, RJ

Presidente Administrativo: Raphaela Nascimento

Vice-Presidente Administrativo: Rhodrigo Nascimento

Presidente de Honra: Nésio Nascimento

Carnaval 2020

Grupo: Série B (LIVRES)

Ordem de Desfile: 3ª Escola a desfilar na Terça-Feira de Carnaval, dia 25/02/2020, na Estrada Intendente Magalhães, Campinho, RJ

Logo Carnaval 2020

Enredo: “MÃE GENTIL, SEUS FILHOS CLAMAM POR TI!”

Logo: Divulgada

Sinopse: Divulgada

https://sambanaintendente.blog/2019/10/11/confira-a-sinopse-da-tradicao/

Carnavalesco: Adenil Silva

Diretores de Carnaval: Comissão de Carnaval, formada por Samuel Gasman, Adenil Silva, Livinha Pessoa e Maurício Silva

Diretor de Barracão:

Diretor Geral de Harmonia: Itamar de Oliveira

1º Casal de MS e PB: Paulo Erick e Joana Falcão

2º Casal de MS e PB:

Coreógrafo da Comissão de Frente: Akia de Almeida

Coordenador da Ala de Passistas: Allan Joey Botyn

Musa da Ala dos Passistas: Francyelle Policarpo

Diretora da Ala das Baianas: Odiléia – Aldaleia Gomes da Silva

Diretor da Velha Guarda:

Presidente da Ala de Compositores: José Lima

Bateria: Explosão de Elite

Mestre Bateria: Beto Peçanha

Rainha de Bateria: Danii Moraes

Musa(s):

Assessoria de Imprensa: Adriana Vieira

Autores do Samba-Enredo: André Kaballa (In Memoriam), Marcio de Deus, Orlando Ambrósio, Serginho Rocco, Gilmar L. Silva, JB D’Souza, Renan Diniz, Michel do Alto e Leandro Maninho

Intérprete: Celino Dias e Lico Monteiro

Cantor(es) de Apoio: Alexandre Alberto

Samba-Enredo: Definido

Só vale quem tem / É o preço da troca / Nas mãos do poder

Que a massa, oprime, sufoca / Desde o Brasil colonial

Quando caravelas aportaram / Traziam a dor, início do caos

Tenho asas pra voar na história / Vejo o Brasil de hoje

Nos tempos de outrora / O índio luta em defesa do seu chão

Negro sangra nessa falsa libertação

Oh! pátria amada! / É a ganância que te faz dilacerada / Sou Tradição!

Sou mais um grito em conflito nessa multidão / Que luta sempre em busca de mudança

Pra ver brilhar nos olhos da criança / um mundo mais igual

Oh senhora, igualdade! / Teus filhos clamam paz e amor

Juntos seremos mais fortes / Voa alto meu condor

História: O G. R. E. S. Tradição é uma escola de samba da Zona Norte do Rio de Janeiro.

Em 1984, um grupo de dissidentes da Portela fundou a Portela Tradição, que teria como símbolo a águia, o mesmo da escola de origem. No entanto, a Portela conseguiu impedir na Justiça que a nova agremiação usasse o seu nome e o seu símbolo. A mudança do nome foi facilmente resolvida e no dia primeiro de outubro daquele ano a escola de samba, fundada por Nésio Nascimento (filho do saudoso Natal da Portela), Léa, Odiléia, Tureca, Mazinho, João Nogueira e Paulo Pinheiro, passou a se chamar apenas G.R.E.S Tradição. A adesão de figuras importantes como Paulo Tavares, Mauro Tinoco, Sérgio Aiub, César Augusto Ferreira, Vera Lúcia Correa, Jorge Paes Leme, Tia Vicentina (irmã de Natal), Marlene (filha de Nozinho) e Vilma Nascimento (a eterna porta-bandeira, também conhecida como Cisne da Passarela) valorizaram ainda mais o quadro de diretoria da Caçulinha Guerreira, apelido da Tradição no mundo do samba.

Já a escolha de um novo símbolo foi mais complicada: faltavam poucos dias para o carnaval e águia já estava pronta no barracão. Não havia tempo pra confeccionar um outro adereço. A solução tinha que ser imediata. Foi então que surgiu a ideia que agradou a todos da diretoria da agremiação. E da águia se fez o condor. Semelhantes nas suas aparências foram necessárias poucas modificações até o dia do desfile.

Nos primeiros carnavais da Tradição um grupo de artistas plásticos formados por Maria Augusta, João Resende, Rosa Magalhães, Lícia Lacerda, Paulinho Espírito Santo, Edmundo Braga e Viriato Ferreira assumiu o Departamento de Carnaval da escola e trabalhou em conjunto até o carnaval de 1988. Durante os primeiros cinco anos de existência da agremiação a dupla Paulo César Pinheiro e João Nogueira assinou, imbatível, a autoria dos sambas de enredo. Somente para o carnaval de 1990 foi criada a ala de compositores, dando início à disputa de samba de enredo na Tradição.

Fonte(s): Galeria do Samba

Ficha Técnica de 2018: https://sambanaintendente.blog/2017/06/07/serie-b-tradicao-4a/

Ficha Técnica de 2019: https://sambanaintendente.blog/2018/08/29/carnaval-2019-serie-b-4a-tradicao/

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: