Canarinhos das Laranjeiras / Carnaval 2020 / Grupo B

Publicado por

GRÊMIO RECREATIVO CLUBE BLOCO CARNAVALESCO CANARINHOS DAS LARANJEIRAS

Oh, Oh, Oh, Oh, Oh Canários das Laranjeiras chegou…

Muitos anos de luta, Muitos anos de glória…

Os Canarinhos tem seu nome na história

band

Fundação: 06/09/1949 (69 anos)

Cores: Amarelo e Branco

Símbolo(s): Canário

Escola Madrinha:

Santo Padroeiro:

Bairro: Laranjeiras

Sede/Quadra: Rua Prefeito Olímpio de Melo, 92, Benfica, Rio de Janeiro, RJ

Barracão:

Presidente Administrativo: André Luiz Santos da Silva “Dedeco”

Vice-Presidente Administrativo:

Presidente de Honra: Jorge Firmino “Bolito”  

Carnaval 2020

Grupo B da FBCERJ

Ordem de Desfile: 6º Bloco a desfilar no Sábado de Carnaval, dia 22/02/2020, na Estrada Intendente Magalhães, Campinho, RJ

78297134_956188341417207_1862120334317060096_n

Enredo: “MUITO PRAZER MADAME SATÃ! MALANDRO DA NOITE! RAINHA DA LAPA!

Logo: Divulgada

Sinopse: Divulgada

https://sambanaintendente.blog/2020/01/14/fbcerj-grupo-b-confira-a-sinopse-dos-canarinhos-das-laranjeiras/

Carnavalesco: Agnaldo Corrêa

Diretor de Carnaval:

Diretor de Barracão:

Diretor de Harmonia:

1º Casal de MS e PE: Fernando Rian e Carolina Accioli

Coreógrafo da Comissão de Frente: Marco Bezerra

Coordenador da Ala de Passistas:

Diretora da Ala das Baianas: D. Joana D’Arc Sales

Diretor da Galeria da Velha Guarda:

Diretor da Ala das Crianças:

Presidente da Ala de Compositores:

Bateria:

Mestre de Bateria:

Rainha de Bateria: Isadora Trindade

Musa(s):

Autores do Samba-Enredo: Andreia Gronow Ferreira Lobo, Ismael Peçanha, Henrique Santos, Cornélio Cabral e Walter Sena

Intérprete: Walter Sena

Samba-Enredo: Definido

*

Nasci em Pernambuco e vim para o Rio de Janeiro

Sofri, fui castigado pelas mãos do fazendeiro / Na Lapa me criei!

Liberdade nas ruas encontrei! / Nos Cabarés e Casas de Tolerância

Proteção e confiança, / Dignidade conquistei.

Joguei capoeira, fui o Rei da Boemia. / Usei camisa de seda e chapéu Panamá

Venci preconceito, vesti fantasia! / Na arte de representar!

No Teatro de Revista, fonte de inspiração

Promessa de um jovem artista. Nos palcos a consagração!

Fui transformista, Malandro e Meretriz! / E de Morcego, os Meganhas encantei!

Hoje, nesse palco da folia, faço a multidão sorrir!

Seja noite ou seja dia! As cortinas vão se abrir!

Vou me acabar nessa Avenida / O meu Canários é a razão da minha vida!

Sou a rainha da noite ao sol da manhã / Muito prazer, sou Madame Satã!

 

História: O G. R. C. B. C. Canarinhos das Laranjeiras é uma das mais tradicionais e antigas agremiações do Rio de Janeiro. Os Canarinhos das Laranjeiras foram 11 vezes campeões, 10 como bloco de enredo e 01 como escola de samba (em 1991 pelo Grupo 4 com o enredo “Lugar de Mulher é na História”). Também, foram 10 vezes campeões como bloco de embalo.

Fundado em 06 de Setembro de 1949, nos fundos de uma casa no início da Rua das Laranjeiras, como bloco denominado, primeiramente (até 1974), Grêmio Recreativo Bloco Carnavalesco Canarinhos das Laranjeiras, nas cores amarelo e branco.

Os “canarinhos” foram bloco de embalo até a criação da Federação de Blocos de Enredo do Rio de Janeiro em 1965, sendo um dos seus fundadores.

A agremiação foi filiada à FBCERJ de 1966 à 1987 e em sua estreia, como bloco de enredo, conseguiu um honroso 3º lugar em 1966 pelo Grupo 2. Em 1967, com o enredo “Ouros do Brasil”, foi vice-campeão do Grupo 1.

Com a denominação de Canarinhos das Laranjeiras foi campeão do Grupo 1 da Federação de Blocos em 1968 com o enredo “Rebouças, o mulato símbolo”, em 1969 com o enredo “Origens e glórias dos blocos” e, também, em 1970. Foi vice-campeão em 1971, 3º lugar em 1972, 6º colocado em 1973 e vice-campeão em 1974.

Durante anos obteve uma trajetória vitoriosa como bloco carnavalesco, sendo um de seus sambas mais lembrados “Ganga Zumba” (1970), de autoria de Carlinhos Sideral e Colid Filho, intérprete Everaldo Cruz, considerado por muitos como o melhor da história da agremiação.

A partir de 1975, passou a chamar-se Grêmio Recreativo Bloco Carnavalesco Canários das Laranjeiras.

Segue os resultados obtidos pelo “Canários das Laranjeiras” pelo Grupo 1 da Federação de Blocos: Campeão em 1975 com o enredo “A lenda de Acaiaca”, 1976 com o enredo “Bahia, templo de tradições e fé” e 1977 com o enredo “Lupiscínio Rodrigues, samba e canção”, 1978 (3º lugar), 1979 (6º lugar), Campeão em 1980 com o enredo “Tróia Negra” e 1982 com o enredo “Sua Alteza, o Príncipe Obá”, 1983 (6º lugar), novamente campeão em 1984 com o enredo “Canariando”, sendo que este vem a ser o último título dessa vitoriosa carreira de bloco, 1985 (3º lugar), 1986 (3º lugar), 1987 (3º lugar).

Embora altamente vitorioso como bloco de enredo, a agremiação nunca teve um “pouso” certo, definido, isto é, durante sua história, os “canarinhos” ensaiaram em diversos lugares, por exemplo: no bairro Humaitá, embaixo do Viaduto da Rua Pinheiro Machado, em um espaço do metrô no Catete, em um CIEP também no Catete, na Rua do Lavraio na Lapa, na Rua Pereira da Silva na Leopoldina, no Aterro do Flamengo, no Cosme Velho, na Av. Francisco Bicalho em Santo Cristo, enfim… O seu ninho nunca foi definitivo. Atualmente tem sua sede na Rua Prefeito Olímpio de Melo, 92, Benfica, na Zona Sul Carioca.

Transformou-se em escola de samba, filiando-se à AESCRJ, em 13/03/1988, passando a chamar-se Clube Carnavalesco Escola de Samba Canários das Laranjeiras.

Fez sua estreia como Escola de Samba no Carnaval de 1989 pelo Grupo de Avaliação, sendo campeã em 1991 do Grupo 4 com o enredo “Lugar de Mulher é na História”.

Foi vice-campeã do Grupo B no Carnaval de 1993, adquirindo o direito de desfilar no Grupo A no ano seguinte. Em 1994, a Canários das Laranjeiras apresentou um belíssimo samba com o enredo “Quem é bom já nasce feito”, de autoria de Elcy, Charles Dirceu e Fernando de Lima, ganhando o Estandarte de Ouro.

Seu declínio começou logo no ano seguinte quando apresentou o enredo “Seu Condutor, Din Din Seu Condutor“. Em função de problemas internos, as roupas dos ritmistas da bateria não foram liberadas (a forma de pagamento das roupas não teria sido aceita pela costureira) e a escola desfilou na Marquês de Sapucaí apenas ao som de um surdo e um cavaco, junto aos intérpretes. A bateria não desfilou e a salvação ocorreu graças a um dos ritmistas do Arrastão de Cascadura, Osias Alexandre. Osias estava pronto para desfilar na co-irmã, próxima escola, quando acabou sendo convocado para colaborar com a agremiação das Laranjeiras.

Segundo ele, o convite para desfilar ocorreu momentos antes do desfile da Canários começar. Osias é considerado pela escola “Herói da Canários das Laranjeiras”.

O inusitado desfile sem bateria, um dos episódios mais tristes da Era Sapucaí, acabou ocasionando o rebaixamento da Canários para o Grupo B. Após a queda, a escola ainda conseguiu manter-se no terceiro grupo por alguns anos, mas não foi suficiente para conseguir se reestruturar.

Voltou a desfilar com o status de bloco de enredo em 2013, devido às regras do carnaval, com alguns rebaixamento consecutivos.

Atualmente, desfila no Grupo 2 dos blocos, tentando resgatar sua maravilhosa história digna de uma grande agremiação.

Em 2018, o bloco voltou a chamar-se Canarinhos das Laranjeiras.

A agremiação, como uma instituição de caráter cultural, recreativo e educacional sem fins lucrativos, tem dado grande contribuição para a sociedade no sentido de preservar a memória cultural do nosso país.

Fonte(s): Samba na Intendente, Wikipédia

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.