Confira a Sinopse da Mocidade Unida da Cidade de Deus

Publicado por

Grêmio Recreativo Escola de Samba Mocidade Unida da Cidade de Deus

Carnaval 2022

Enredo: Mitos, Lendas, Devoção, Adoração… Mocidade Unida Canta o Sol, a Divina Criação

Justificativa do Enredo:

O enredo de uma escola de samba depende de competência, profissionalismo, amor é muita dedicação àquilo que se ama:

-Uma questão do homem com a sua realidade, seu pensamento e sua rebeldia;

-Uma questão de integração da proposta com a receptividade do público;

-Onde olhamos, emocionamo-nos, imediatamente, apaixonamos.

Senhoras e senhores, com o presente enredo “Que haja luz”. Nossa agremiação pretende com a força do nosso astro rei sol, clarear a avenida.

Da criação divina segundo as escritas sagradas da Bíblia, Deus é o grande criador do Universo e de tudo que nele existe, é o Deus supremo, a divindade que pôs fim as trevas e separou o dia da noite.

Que haja luz e venha o sol…

Após pesquisarmos o tema descobrimos uma das civilizações mais antiga e organizada que já existiu, das Cordilheiras dos Andes à construção de uma grande nação, os Incas, veneravam o sol como deus, como um ser supremo, uma divindade que acumulava toda sabedoria. Em seu Império, uma festa pagã era feita em devoção ao Sol, ao seu criador Viracocha.

No Egito Rá representa o deus, supremo, o criador de tudo. Era deus da proteção, assim como no Império Romano, Grego e no povo Asteca que via ali o único meio de marcação do seu calendário.

Diante de toda a devoção que tais civilizações tinham pelo Sol, muitos mitos e lendas surgiram mundo afora. No império Inca, os sucessores do Deus Viracocha seriam Inti e Mama Quila, seus filhos o Sol e a Lua, no Egito Rá lutava toda noite contra a serpente Apep, que tentava incansavelmente derrotar o brilho do Sol, o povo só tinha a certeza da derrota de Apep quando o dia nascia e com ele o brilho do nosso astro do sistema solar. Ícaro, filho de Dédalo, prisioneiros do labirinto do minotauro, só conseguiriam escapar da prisão pelo ar com asas de cera criadas por Dédalo, que avisou a seu filho que não se aproximasse do sol, pois a cera iria derreter, Ícaro se encantou com as asas, por poder voar bem alto e foi de encontro a sua morte, ao derreter suas asas e cair no mar. Muitos mitos e muitas lendas sobre o sol, mais certeza do renascimento estava na fênix que ao entardecer queimava em brasa e ao amanhecer ressurgia de suas próprias cinzas. O homem necessita do sol para sobrevivência, a agricultura precisa da luz do dia para germinar o grão assim como toda a flora.

A marcação do tempo por muitas civilizações e por muitas épocas foi feita através de relógios de Sol, e a medicina avançou a ponto de encontrar uma cura natural, num simples banho de Sol.

Quem não gosta de uma boa praia? O verão é a estação do ano da diversão e da alegria, é a estação das estações… Esse calor do verão que nos diverte e nos aquece.

O sol é inspirador, para músicas, livros, filmes. O sol inspirou diversos setores da sociedade e também inspiração pro nosso carnaval, com muita luz o GRES Mocidade unida da Cidade de Deus fará um desfile campeão, tão brilhante e forte quanto o nosso astro incandescente, o sol.

Sinopse:

No início tudo era treva…

Uma imensa e infindável escuridão

Transformando o universo e a Terra em lugares sombrios,

Por vezes assustadores e malignos.

No quarto dia da criação divina,

Deus, ao ver toda beleza que havia criado

Submersa em tamanha penumbra,

Decide dar vida ao Sol e que haja a luz!

O rei Sol seria responsável por iluminar o dia,

Fazer brilhar as belezas e os encantos da obra-prima do criador.

O astro incandescente foi venerado… Adorado,

Inti no Império Inca, filho de Viracocha,

Futuro deus supremo da crença incaica,

Foi base para o calendário Asteca,

E adorado na “Festa do Sol”!

Na Grécia Apollo foi o escolhido,

O deus da luz da verdade, filho de Zeus e Leto.

No Egito Rá brilhava no céu, iluminava o dia e dava proteção aos egípcios

Na Roma antiga a devoção foi cunhada em discos de prata, reluzentes e brilhantes.

Diante de tamanha devoção mitos e lendas surgiram,

Inti e Mama Quila, o Sol e a lua Inca,

Rá e Apep, uma batalha diária entre o Sol e a serpente da noite,

A vitória chegava ao amanhecer quando Rá voltava a iluminar o Egito,

Ícaro… Apaixonado pelo brilho do Sol,

Viu a cera de suas asas derreterem, morrendo por amor ao astro rei,

E como se não fosse o bastante ainda vimos o amor do Sol e da Lua,

Até a criação da terra que os separou para sempre…

A tristeza da lua foi tamanha

Que suas lágrimas criaram os rios e os mares,

Para consolar a pobre estrela da noite, Deus criou as constelações,

E um boto rosa que durante a noite se tornava homem,

Dançava, se divertia mas sem amanhecer,

Quando o dia despontava voltava a ser boto nas profundezas

De um rio amazônico!

Mas o fim nunca seria o final… Para a fênix

Que queimava em brasa a noite e durante o dia renascia das cinzas…

Entre tantos outros mitos e lendas…

Mas o mundo precisa do Sol,

Na colheita para semear o grão,

Alimentar a Terra e germinar o solo sagrado,

Durante séculos relógios de sol marcaram o tempo,

No centro de praças e no alto de torres de igrejas,

A evolução foi magnífica,

O Sol se tornou medicinal,

Se tornou a cura para certas enfermidades,

E trouxe uma energia alternativa e limpa!

Quem não gosta de uma praia?

Verão é pura diversão,

Esportes a beira do mar,

Mar que inspira, que traduz pensamentos,

Mar de emoções…

O Sol é a diversão!

E é também inspiração,

Musical, literária e cinematográfica,

Mas ele merece… Merece muito mais

Um viva ao nosso astro rei,

E se um dia essa chama apagar?

É hora de reflexão e de preservação

Hoje os raios luminosos apontam para a águia altaneira,

Que faz da Terra um enorme palco para o brilho do Astro do dia!

Plínio Santtos

 

*Roteiro do Desfile:*

*1° Setor: “A criação!”*

Segundo as escritas sagradas da Bíblia, Deus é o grande criador do Universo e de tudo que nele existe, é o deus supremo, a divindade que pôs fim as trevas e separou o dia da noite, as trevas da luz.

Comissão de frente: Que haja luz!

Casal MS e PB: Universo, a divina criação

Ala 1: Trevas, luz… Divina separação

Tripé: Criação celestial!

*2° Setor: ” Antigas civilizações”*

As civilizações da antiguidade veneravam o sol como Deus, como um ser supremo, uma divindade que acumulava toda sabedoria, no Império Inca uma festa pagã era feita em devoção ao Sol, no Egito Rá era deus da proteção, assim como no Império Romano, Grego e no povo Asteca que via ali o único meio de marcação do seu calendário.

Musa: Calendário Asteca

Musa: Grécia

Ala 2: Império Inca

Ala 3: Império Egípcio

Ala 4: Tribunal Romano

2° Veneração ao sol

*3° Setor: “Mitos e lendas do Sol”*

Diante de toda a devoção que tais civilizações tinham pelo Sol muitos mitos e lendas surgiram mundo afora. No império Inca os sucessores do Deus Viracocha seriam Inti e Mama Quila, seus filhos o Sol e a Lua, no Egito Rá lutava toda noite contra a serpente Apep que tentava incansavelmente derrotar o brilho do Sol, o povo só tinha a certeza da derrota de Apep quando o dia nascia e com ele o brilho do nosso astro do sistema solar. Ícaro, filho de Dédalo, prisioneiros do labirinto do minotauro, só conseguiriam escapar da prisão pelo ar com asas de cera criadas por Dédalo que avisou a seu filho que não se aproximasse do sol pois a cera iria derreter, mas a paixão pelo brilho que vinha do céu era tanta que Ícaro foi ao encontro desse brilho e também de sua morte ao derreter suas asas e cair em terra morto. Lendas amazônicas também surgiram como o boto cor de rosa e o amor do Sol pela lua que foram separados pela Terra, mas a certeza do renascimento estava na fênix que ao entardecer queimava em brasa e ao amanhecer ressurgia de suas próprias cinzas.

Musas: Inti e Mama Quila (Sol e Lua)

Ala 5: Rá e Apep… Embate egípcio

Ala 06: Ícaro, asas de cera

Ala 07: Paixão amazônica

Ala 08: Fênix… O renascimento

Tripé: Lendas, mitos e mistérios do Sol!

*4° Setor: “Do progresso a diversão o Sol é inspiração”*

O homem necessita do sol para sobrevivência, a agricultura precisa da luz do dia para germinar o grão, para florescer da terra e dessa terra tirar o nosso pão. A marcação do tempo por muitas civilizações e por muitas épocas foi feita através de relógios de Sol, e a medicina avançou a ponto de encontrar uma cura natural, um simples banho de Sol. Quem não gosta de uma boa praia? O verão é a estação do ano da diversão e da alegria, é a estação das estações… Esse calor do verão que nos diverte, nos inspira e nos aquece.

O sol é inspirador. Para músicas, livros, filmes, para o jovem e para o mundo. O sol é vida, é o que nos mantém vivos, e também o que nos motiva e inspira hoje nesse carnaval. E se um dia essa estrela se apagar? Vale a pena parar pra pensar… Será que podemos fazer algo pra impedir? Será que é algo inevitável? Por via das dúvidas vamos aproveitar!

Musa: Colheita sagrada

Ala 09: Marcação do tempo

Asa 10: Cura Solar … Sol Medicinal

Ala 11: Energia Solar

Musa: O bronzeado da morena.

Ala 12: Verão é diversão

Ala 13: Melodias ao Sol

Ala 14: Inspiração para pintores.

Ala 15: Inspiração literária

Alegoria: Do progresso á evolução, do verão á diversão!

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.