SÉRIE DE ENTREVISTAS COM AS PERSONAGENS DA INTENDENTE

Nome: JULIO CESAR FARIAS

Cargo: CARNAVALESCO

Agremiação: G. R. E. S. ARRANCO DO ENGENHO DE DENTRO

Grupo: Série C da LIESB

1. Conte-nos a sua trajetória no Carnaval?

Julio Cesar: Sempre gostei de assistir aos desfiles de escola de samba. Comecei a desfilar em ala pela Grande Rio em 1996, pois sou caxiense. Desfilei na escola ininterruptamente até 2003. Em 2001 lancei meu primeiro livro com o carnaval como tema. Em 2003 ajudei, com outros pesquisadores de carnaval, a montar o Centro de Memórias da LIESA junto ao Dr. Hiram Araújo. Em 2003 fui carnavalesco do bloco de enredo Perereca Assanhada, de Maricá. Em 2004, fiz um estágio na estreia do carnavalesco Paulo Barros na Unidos da Tijuca, acompanhando toda a concepção e produção do desfile, para escrever o meu quarto livro sobre enredos. Em 2006, quando Paulo Barros deixou a Tijuca para atuar na Viradouro, fui convidado para integrar o departamento de carnaval com Luiz Carlos Bruno, diretor de carnaval que foi promovido a carnavalesco. Fiz três carnavais com ele, auxiliando a montar os enredos, pesquisando e elaborando textos de defesa. Em 2010, com o retorno de Paulo Barros à Tijuca, que trabalha com as pesquisadoras da UFRJ desde 2003, assumi a direção cultural da escola, auxiliando a assessoria de imprensa, o departamento de marketing e escrevendo a revista anual da escola. Passei então a fazer pesquisa e texto para escolas de samba do grupo de acesso, da cidade gaúcha Uruguaiana e do Uruguai. Fiz vários enredos com Severo Luzardo, hoje carnavalesco da União da Ilha do Governador, e com Marcio Puluker, hoje carnavalesco da Acadêmicos do Sossego. Em 2011, fui primeiro destaque no Império Serrano, com o enredo sobre os carnavais pelo mundo, ainda na parceria com Severo Luzardo. Por vários anos fui julgador de desfiles, em Joaçaba (SC), Uruguaiana (RS) e Rio de Janeiro (2010) e colunista do site Papo de Samba. Fiz várias palestras sobre Carnaval pelo Brasil. Em 2015 fui convidado para ser carnavalesco do Arranco do Engenho de Dentro e já vou para o meu segundo carnaval na agremiação. Esse ano também sou o pesquisador do enredo sobre Zezé Motta na Sossego. Nesse trajeto, publiquei 9 livros relacionados ao tema carnaval, dos quais destacam-se os que se referem a alguns quesitos julgados: samba-enredo, enredo, comissão de frente, bateria e harmonia.

2. Fale-nos do enredo da escola para 2017?

Julio Cesar: O enredo do Arranco “Regina Celi e Salgueiro – Uma história de amor sem ponto final” presta uma homenagem a Regina Celi e ao Salgueiro. O desfile está dividido em dois setores: no primeiro falamos da mulher Regina Celi e de sua gestão no Salgueiro; no segundo setor mostramos os carnavais da Academia do Samba sob o comando de Regina, de 2009 a 2017.

3. Quais são as expectativas da agremiação para este carnaval?

Julio Cesar: Nossas perspectivas são as melhores possíveis, pois como fizemos no ano passado, estamos nos esmerando na produção do carnaval. O enredo foi bem acolhido pela comunidade, porque Regina Celi é muito querida no mundo do samba. Temos um samba-enredo forte, muito bonito e que retrata bem o enredo.

4. Qual será o destaque principal da escola para o desfile?

Julio Cesar: A participação em peso dos salgueirenses para homenagear a querida presidente deles. Outros destaques são as fantasias que remetem aos carnavais do Salgueiro, de fácil leitura.

5. Como está o barracão da escola (fantasias e alegoria(s))?

Julio Cesar: 90% das fantasias estão prontas e nessa segunda semana de janeiro começamos a parte de ferragem dos carros alegóricos. Estamos dentro do cronograma.

6. Como virá a escola, em relação a nº de alas, componentes, quantos setores serão o desfile?

Julio Cesar: Serão 2 setores com 16 alas e 1000 componentes.

7. Deixe-nos uma mensagem para a galera que acompanha o Carnaval da Intendente.

Julio Cesar: Os desfiles da Intendente Magalhães são os mais genuínos porque é preciso uma criatividade muito maior na preparação de um carnaval com pouquíssimos recursos e com a mistura de material novo ao reciclado. Por isso, não importa como ela passe na Avenida, toda escola deve ser muito aplaudida, pois as dificuldades são muito maiores em todos os sentidos.

Muito obrigado Julio Cesar Farias pela participação e ótimo Carnaval!