Grêmio Recreativo Escola de Samba Acadêmicos do Engenho da Rainha

Canta meu Engenho da Rainha!

Engenho… É um celeiro de bamba… A minha escola de samba / Que não posso esquecer… Engenho eu serei até morrer!

Bandeira_do_GRES_Acadêmicos_do_Engenho_da_Rainha

Fundação: 1º/07/1949 (67 anos)

Cores: Vermelho e Branco

Símbolo(s): Um Livro Aberto

Bairro: Engenho da Rainha

Sede/Quadra: Rua Mário Ferreira, 257, Engenho da Rainha, Rio de Janeiro, RJ

Barracão: Av. Via Binário II, Santo Cristo, Rio de Janeiro, RJ

Presidente: José J. S. Junior “Bad Boy”

Presidente de Honra: Luciano “Pica Pau”

Vice-Presidente: Paulo Henrique

Patrono: Rildo Seixas

Escola Madrinha: Portela

Bateria: Orquestra de Ouro

História: O G. R. E. S. Acadêmicos do Engenho da Rainha é uma escola de samba da Zona Norte da cidade do Rio de Janeiro. Foi fundada no dia 1º de julho de 1949, sendo a 1ª academia do samba.

Tendo o grosso de seus componentes residindo nas localidades do Engenho da Rainha, Inhaúma, Pilares e adjacências, a escola teve como cores oficiais até o Carnaval de 1988 o verde, rosa e branco, passando então a adotar as cores vermelho e branco.

A agremiação do Engenho da Rainha apesar de nunca ter desfilado entre as grandes do carnaval carioca, tem muita história e tradição e se destacou pela excelência de sua ala de compositores, entre eles Guará, De Minas e Jaci Inspiração, e por alguns sambas que fizeram história – a agremiação ganhou o Estandarte de Ouro de Melhor Samba-Enredo do Grupo de Acesso em três ocasiões nos anos de 1985 Não Existe Pecado do Lado de Baixo do Equador dos compositores “Guará”, De Minas e Marcos de Lima, 1986 Ganga-Zumba – Raiz de Liberdade dos compositores “Guará”, De Minas, Bizil e Jacy Inspiração e 1990 Dan, a serpente encantada do Arco-íris dos compositores Paulinho Poesia “Ciganerey”, Da Silva, Evaldo, Peneirinha, Marcos da Dona Geralda e Luiz Bady.

A despeito dos vencedores do Estandarte de Ouro, muitos admiradores de samba de enredo consideram que o hino de 1981, “O Curioso Mercado de Ver o Peso” (Álvaro Sobrinho, Vanil do Violão, Carambola e Porranca) é o maior da história da agremiação.

O Engelho da Rainha vem fazendo boas apresentações, tendo em sua história quatro títulos de campeã, fazendo carnavais de alto nível, nem sempre bem entendidos pelos jurados. Por exemplo, no Carnaval de 1986 com o enredo “Ganga-Zumba Raiz da Liberdade“, conseguindo apenas o 5° lugar.

O primeiro título dessa tradicionalíssima escola de samba foi em 1953 no Grupo 2, com o enredo Glória à Música Brasileira.

Depois em 1977, com o enredo “Do Milagre da Miscigenação ao Folguedo do Maracatu”, no Grupo 3. Em 1983, foi campeã do Grupo 2A com o enredo “Os Alegres Pregões do Paço Imperial”.

A última vitória veio no Carnaval de 2009 com o enredo “Doces Lembranças“. O Engenho venceu o antigo grupo RJ-3 equivalente ao grupo D.

A agremiação viveu sua fase áurea nas décadas de 80 e 90 disputando o Grupo 2 do carnaval carioca de 1984 a 1996.

Em 2000, a escola foi rebaixada para os grupos que desfilam fora da Marquês de Sapucaí e até então não mais retornou ao Sambódromo.

Está na Série B desde 2014, desfilando na Estrada Intendente Magalhães, buscando desfilar novamente na Marquês de Sapucaí.

Fontes: Wikipédia e Samba na Intendente

Eng1

Carnaval 2018

Grupo: Série B

Ordem de Desfile: 11ª Escola a desfilar na Terça-Feira de Carnaval, dia 13/02/2018, na Estrada Intendente Magalhães, Campinho/RJ

Enredo: “DEIXA FALAR: O QUE É QUE HÁ? ACADEMIA DO SAMBA, HOJE, SOU ESTÁCIO DE SÁ!”

18361053_1401251096601013_141029329_n

Logo: Divulgada

Sinopse: Divulgada

https://sambanaintendente.blog/2017/07/26/academicos-do-engenho-da-rainha-divulga-sua-sinopse/

Carnavalescos: Guilherme Diniz e Rodrigo Marques

Diretores de Carnaval: Vinícius Rangel, Lia Amorelli e Adriano

Diretor de Harmonia:

1º Casal de MS e PB: Paulo Erick e Mônica Menezes

2º Casal de MS e PB: Paulo Menezes “Paulinho” e Laís Menezes

Coreógrafos da Comissão de Frente: Daniel Ferrão e Léo Torres

Coordenadora da Ala de Passistas: Rosângela Oliveira

Diretora da Ala das Baianas:

Diretor da Velha Guarda:

Presidente da Ala de Compositores: Sidney de Pilares

Diretor de Bateria: Mestre Laion Arc

Rainha de Bateria: Lilian Brito “Lili Tudão”

Musa:

Diretora Social: Negra Lu

Assessoria de Imprensa: Lia Amorelli

Autores do Samba-Enredo:

Intérprete: Lucas Donato

Samba-Enredo: