GRÊMIO RECREATIVO ESCOLA DE SAMBA LEÃO DE NOVA IGUAÇU

Carnaval 2019

 

Presidente: Oberdan Rodrigues da Silva “Bira do Leão”

Vice-Presidente: Allan Souza Silva “Allan Negão”

Carnavalesco: Clébio de Freitas

Diretor de Carnaval: Cássio Adriano

Diretor de Harmonia: Marcelo Nogueira “Bombeiro”

Intérprete: Márcio Oliveira

Coreógrafo da Comissão de Frente: Maicon Teixeira

1º Casal de MS e PB: Ricardinho Martins e Gabby Oliveira

Diretor de Bateria: Mestre Bolinha

Rainha de Bateria: Luciane Soares

Enredo:

ALMA CABOCLA

MAGIA, FASCÍNIO E PRESERVAÇÃO NO CORAÇÃO DA AMAZÔNIA!

Sinopse:

No ano do jubileu de ouro, o Leão de Nova Iguaçu ruge mais alto na passarela popular do carnaval do Rio de Janeiro. Fazendo uma viagem cultural ao coração da floresta que é Pulmão do Mundo! A maior área verde do planeta… Mágica, fascinante, mística e paradisíaca.

E assim encontramos o sentido do equilíbrio entre homem e natureza, ele está na alma cabocla dos povos amazonenses!

Terra de índios que foi explorada pela cobiça do espanhol, que saqueou seu ouro, destruiu culturas e ainda roubava seus animais para enfeitar os palacetes da Europa. Depois foi visitada por Franceses, Portugueses e Italianos. E cada povo deixou seu rastro… Miscigenou! Misturando a cor da pele, a cultura e a fé, o colonizador deixou heranças nas crenças e nas artes marajoaras. Hoje esta cultura é força que alimenta a resistência em defesa da vida.

Brada Leão, e rememora o canto negro! Poucos sabem que a floresta serviu de refúgio para os negros fugidos da escravidão, e que lá no coração da mata fundaram quilombos de verde esperança! Trazendo mais misturas para a gente que lá vivia! Com suas crenças e rituais o tambor na mata retumbava! O Negro viveu da caça, pesca e da coleta de frutos e deixou ali o seu legado que contribuiu para enriquecer ainda mais esta transfiguração de etnias…

Nossa Senhora do Carmo, a padroeira de Manaus, atrai milhares de romeiros ao local. É exemplo de tradição e religiosidade celebrando o ecumenismo em paz, com o poder da fé que tem alma cabocla!

Caboclo é povo que nasceu da transfiguração do negro, branco e índio, povo mesclado que vive a beira de barrancos de rios, charcos, várzeas e igarapés. Povo mesclado que contribuiu para a cultura tão rica da Amazônia. Povo que precisa ser também valorizado e respeitado, pois hoje novos invasores querem roubar suas riquezas naturais e culturais, e até mesmo apagar sua fé, suas lendas e cantigas…

Estas lendas fascinantes foram passadas de geração a geração, dando fama ao lugar. Estas histórias de pescadores e pajés ganharam forças com os rituais dos Incas que celebravam os rituais do Sol e da Lua, fazendo nascer um novo Brasil!

As festas juninas são famosas especialmente na Ilha de Parintins, e acontecem fortemente ligadas com a festa do boi-bumbá, como acontece em todas as regiões do país. No local o festival do Boi acontece com Garantido e Caprichoso louvando as raízes de nossa gente. Assim a ancestralidade brasileira ganha mais e mais força! Cantando histórias de pescadores e índios… Canto forte de miscigenação!

Quando a borracha foi extraída dos seringais, projetou a região no cenário mundial. Nesse período, Manaus ficou conhecida por seu Teatro e arquitetura, como a “Paris dos Trópicos!”

Então surge o Mercado Popular, que se torna o maior mercado a céu aberto do mundo. Mais fama e mais riquezas é a Zona Franca; polo industrial referência brasileira de indústria e tecnologia.

Mas com tanto progresso, não podemos esquecer da natureza! Chico Mendes encarnou o grito do índio, e morreu por defender a floresta! Ele é exemplo de cuidado e preservação!

Perguntam pra que cantar a Amazônia?

O Leão responde de imediato: É para cantar a vida… A importância da preservação da alma dessa nação!

Por isso o rugido miscigenado vem com a força do batuque do samba, unido ao canto caboclo que clama pela natureza em nome da sobrevivência de toda a vida na Terra. Brada valente com o forte povo iguaçuano, para que todos possam olhar com respeito e devoção novamente em direção da floresta amazônica com suas criaturas místicas e reais, sua gente e suas riquezas culturais, e com esta energia, a humanidade aprenda finalmente a respeitar todas as formas de vida!

Autor: Clébio de Freitas

Organização de texto: Bill Oliveira

Tópicos do Desfile

1 – Índio

2 – Colonizador Espanhol

3 – Povos: Franceses, Portugueses e Italianos

4 – Negros e os Quilombos na Floresta

5 – Miscigenação / O Caboclo / Alma Cabocla

6 – Religiosidade

7 – Lendas

8 – Incas do Sol e da Lua

9 – A Borracha

10 – O Teatro Amazonas

11 – Manaus é a Paris Tropical

12 – O Maior Mercado Popular a Céu Aberto do Mundo

13 – A Zona Franca Industrial

14 – Progresso x Preservação

15 – A Floresta Amazônica

16 – Chico Mendes e a Importância de Cantar novamente a Amazônia