Artista desenvolverá o enredo “Túlio, o glorioso” na Intendente Magalhães pela Série D

Aos poucos o corpo artístico da Botafogo Samba Clube vai ganhando forma. Após anunciar sua diretoria e o intérprete Tiãozinho Cruz, a escola alvinegra definiu o nome de Tom Santos para desenvolver o enredo “Túlio, o glorioso”. O carnavalesco, que assinou o desfile do Acadêmicos do Jardim Bangu em 2017, trabalhou neste ano nos ateliês da Beija-Flor de Nilópolis e do Império Serrano. Ele destaca que o seu lado profissional falará mais alto, apesar de ser torcedor de outro clube:

– Recebi com bastante surpresa o convite para ser o carnavalesco, até porque saí recentemente de uma outra escola. Todo mundo sabe que sou flamenguista, mas aqui o amor pelo samba irá falar mais alto. O Tom que estará aqui é o profissional e que vai fazer de tudo para conquistar as primeiras colocações. O Tom torcedor ficará em casa. Não haverá mistura – garante.

Em 2019, a Botafogo Samba Clube homenageará o artilheiro e ídolo Túlio Maravilha, um dos principais nomes da conquista do Brasileirão de 1995. Tom Santos explica como será o desenvolvimento do enredo alvinegro na Intendente Magalhães:

– O desfile da Série D é pequeno. Por isso, não posso fazer um desfile biográfico porque não daria nem 10% da vida do Túlio. Optamos por falar do seu momento no futebol. Começamos com o sonho de todo menino em ser jogador, damos uma passada rápida por Goiânia, onde surgiu o craque, viajamos pelos clubes por onde ele jogou, chegamos no Botafogo e finalizamos com a ida à Seleção Brasileira. Focamos no início da carreira, nas glórias com a camisa alvinegra e o ápice com a convocação – resume o carnavalesco.

Quando se fala da união futebol-carnaval, São Paulo vem logo em nossas cabeças. Com belos desfiles, as escolas esportivas de Sampa são, de certa forma, a grande inspiração para a Botafogo Samba Clube. Tom Santos ressalta isso, pede o apoio de todos e mostra confiança para o primeiro desfile alvinegro.

– Não virem a cara para escola por ser oriunda de torcedores. Abracem a ideia. Independente dos problemas que existiram em São Paulo em anos anteriores, as escolas de samba ligadas aos clubes deram certo. Gaviões da Fiel, Mancha e Dragões da Real são ótimos exemplos e se tornaram grandes agremiações, com sambas e desfiles memoráveis. Temos isso como espelho e vamos mostrar que a união samba e futebol dará certo também no Rio de Janeiro – encerra Tom.

No próximo carnaval, a Botafogo Samba Clube será a 11ª escola a pisar na Intendente Magalhães no domingo de carnaval, 3 de março.

Fotos: Emerson Pereira / Botafogo Samba Clube